POSTAGENS MAIS RECENTES DO BLOG

SIGA-NOS NO FACEBOOK

quinta-feira, 30 de junho de 2011

SE A TUA MÃO FOR COMIGO SENHOR!

Havia alguma coisa de diferente neste pequeno grande homem da Genealogia bíblica. Sua história interrompe bruscamente uma extensa lista de nomes num capítulo que parece tedioso para o leitor negligente. Mas há quatro grandes lições em sua oração:
“E foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos; e sua mãe chamou o seu nome Jabez, dizendo: Porquanto com dores o dei à luz. Porque Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Se me abençoares muitíssimo e meus termos amplificares, e a tua mão for comigo, e fizeres que do mal não seja aflito!... E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.” (1Cr 4:9-10)

I. Temos aqui o estado final ou conclusivo da vida de Jabez: “E foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos”
A. Em ouras palavras ele se tornou “mais importante” que seus irmãos;
B. De todos acabou sendo o mais honrado e o mais destacado;
C. Vale lembrar que Davi tinha mais seis irmãos, e, dificilmente, existe alguém que lembre o nome de pelo menos um deles;

II. Ele cresceu com um nome que todo garoto odiaria: “Ele causa dores”
A. Um nome que significa dor não era um bom presságio 
para o futuro de Jabez;
B. Nos tempos bíblicos, um homem e seu nome estavam intimamente relacionados;
1. Jacó, o enganador;
2. Malom e Quiliom, os fracos;
3. Noemi, a agraciada;
4. Salomão, o rei da paz;

C. Dependesse da orientação de sua mãe ele seria um causador de dores;
D. Oprimido pelo fardo que levava no nome, a única coisa que ele podia ver pela sua frente era “mais dores”, ou “dias infelizes”;
E. Quantas filhos são frutos da irresponsabilidade de seus pais, considerados por estes uma dor e aflição
1. Um pai que tem coragem de chamar o filho de Jacó (enganador) não podia ter mais que um enganador como filho;
2. O que aconteceu com Jabez quase aconteceu com Benjamin, pois, se dependesse da mãe, chamaria “FILHO DA TRIBULAÇÃO”;

F. Quantos não conseguiram e não conseguem quebrar a barreira de maldição em que estão envolvidos, ou que foram envolvidos?

III. Primeiro pedido de Jabez quebra o circulo de dor iniciado pela sua mãe e clama a Deus: “Meu Deus me abençoe, não quero ser uma maldição nesta terra”

A. Podia ficar reclamando e lastimando a vida toda, mas resolve orar a Deus;
B. Podia estar na mesma condição da mulher samaritana e dizer: “Nossos pais adoraram neste monte”, insistindo num pecado de setecentos anos;
C. O texto mostra um homem desejoso de mudar a rota da sua vida (Ver ainda: Salmos 119:141) “Pequeno sou e desprezado, mas não me esqueço dos teus mandamentos.”

IV. Aprendamos o verdadeiro sentido da Palavra bênção:
A. A Palavra bênção tem se tornado uma palavra comum;
B. Sua realidade nada tem a ver com a teologia da prosperidade, pois, nesta, a bênção existe a partir da realidade feita na mente do homem (uma casa grande, uma mercedes), ao contrário da bênção real, pois esta é pedir que ele nos dê daquilo que já tem reservado para nós;
C.  Abençoar no sentido bíblico significa pedir ou conceder um favor sobrenatural. Ao clamarmos pela bênção de Deus, não estamos pedindo aquilo que poderíamos conseguir pelo nosso próprio esforço. Estamos clamando pela maravilhosa e ilimitada bondade, que apenas Deus tem de conhecer e de nos conceder. É a este tipo de riqueza que o escritor de provérbios se refere: “A bênção do Senhor é a base da verdadeira riqueza, pois não traz tristezas e preocupações” (Pv 10:22).
D. Pedir para ser abençoado é desejar as “bênçãos espirituais”;

V. É preciso pedir as bênçãos de Deus: “Não tendes porque não pedis” Tg 4:2; “Se me abençoares muitíssimo”

A. Não há nenhum erro teológico nem é egoísta pedir que “Deus me abençoe!”
1. Jacó, o homem enganador, não teve dúvidas em pedi-la: “Me abençoe”
2. Como teria sido a empreita do servo de Abraão se ele não pedisse para Deus abençoa-lo?

B. O pedido de bênção deve seguir a linha de Davi, e não a linha dos homens:
1. Davi sabe que Deus tem uma bênção para ele – e você sabe?
2. Reconhece seu lugar “Quem sou eu, SENHOR Deus? E qual é a minha casa, que me trouxeste até aqui?” “Que mais te dirá Davi, acerca da honra feita a teu servo? Porém tu bem conheces o teu servo.” 2Sm. 7.18
3. Compreende que Deus abençoa porque ele ama, e não porque há merecimento próprio;
4. Termina em confessar que o que Deus abençoa fica abençoada para sempre; “porque tu, SENHOR, a abençoaste, e ficará abençoada para sempre.”

C. Quantas vezes deixamos de receber simplesmente porque não pedimos?
1. Os israelitas não pediram conselho de Deus para fazer aliança com os gibeonitas, e qual foi o resultado? Foram enganados.

VI. O segundo pedido de Jabez: Alargue-me as fronteiras;

A. Este pedido pode ser confundido por COBIÇAR COISAS ALHEIAS, ou como se ele dissesse: “Eu não nasci para ter só isso”, ou “ser só isso”;
1. Não vemos um Davi falando uma tal coisa;
2. Essa não era a linguagem de Paulo; (Rm 12:16)
B. Na verdade o que Jabez faz é pedir mais oportunidades, o que implicaria, mais responsabilidades:
1. Jabez provavelmente viveu no tempo dos juízes, e neste tempo Deus havia dado muitas terras, mas poucas eram conquistadas;
2. Seu pedido não é diferente do de Otniel, em querer as “fontes superiores e as fontes inferiores”, pois ele queria trabalhar mais;
3. Querer mais fronteira na terra de Deus é o mesmo que querer mais trabalho na Casa de Deus;
C. Para desejar mais fronteiras é preciso ter coragem para “lutar” ou “trabalhar”
D. A covardia ou acomodação tem feito muitas vítimas;
E. O crente deve pedir que Deus amplie seu coração:
1. Deseje que a bandeira da sua fé chegue até o outro lado da rua, da vila, da cidade ou do mundo;
2. Lembremos que os apóstolos apesar de receberem ordens de “ir por todo o mundo”, queriam ficar confinados às quatro paredes, e só não ficaram assim porque Deus os espalhou;

" Eu os tirei do Egito e os levei para o deserto”


" Eu os tirei do Egito e os levei para o deserto” – Ezequiel 20.10


A palavra “deserto” vem do latim deserto e significa “lugar solitário” ou “de solidão”; lugar ermo. O povo de Israel enfrentou o deserto em sua caminhada à terra prometida. Curiosamente o deserto surge na vida dos israelitas após 400 anos de escravidão egípcia e tem a duração de 40 anos. O trajeto do Egito à Canaã, terra prometida por Deus aos filhos de Israel, levaria no máximo 40 dias para ser completado. Mas Israel levou 40 anos. Quem foi o responsável por tamanho equívoco? Moisés? Os seus auxiliares? A falta de um bom GPS?Primeiramente, não se tratou de um equívoco, mas de uma experiência criada propositalmente; e não teve nada a ver com falha humana, nem com ação maligna, mas com o próprio Deus. Centenas de anos após a vivência dessa experiência, Deus chama o profeta Ezequiel e revela:

“Você sabe quem estava por detrás daquele aparente equívoco que levou Israel para o deserto, depois de 400 anos de Egito? Eu mesmo. Fui eu quem levou Israel para o deserto. Eu estava vendo as abominações que eles estavam cometendo e precisava deixá-los cara-a-cara comigo, fazê-los passar debaixo do meu cajado (objeto que simboliza o cuidado e a orientação pastoral) e se sujeitarem à disciplina da aliança que foi estabelecida entre nós” (Paráfrase de Ezequiel 20).

Interessante é observar que o povo murmurou contra Moisés e o acusou de ser o responsável por toda aquela experiência desértica. Muitos se lembraram das cebolas do Egito, com forte expressão de saudade. Eles não conseguiam discernir, e não podiam discernir, porque eram carnais, que a experiência do deserto não tinha a ver com Moisés, mas com Deus. Sabemos que a geração que entrou em Canaã não foi a mesma que saiu do Egito, pois a geração que deixara o Egito morreu no deserto em virtude de terem murmurado contra o Deus Eterno.

Quando enfrentamos momentos difíceis, é comum perguntarmos por que os estamos experimentando; queremos encontrar uma razão, algo que explique o que estamos passando. Contudo, quando lemos o capítulo 20 do livro do profeta Ezequiel e vemos a experiência de Israel no deserto, provocada pelo próprio Deus, discernimos que muitos momentos de provação nos são permitidos, não para o nosso sofrimento, mas para o nosso crescimento. É que chamamos de “desertos necessários”. É um paradoxo. Mas nenhum de nós amadurece emocional ou espiritualmente se tudo vai bem.

Precisamos passar por momentos conflitantes para nos desenvolver como pessoas. Isso acontece desde o parto, essa experiência estranhamente dolorosa que nos tira do anonimato aconchegante do útero e nos expulsa para uma realidade estranha. Choramos. Não por causa das palmadas do médico, nem por causa da dor da primeira respiração, comparada à inalação de ácido sulfúrico. Choramos por termos perdido o lugar que nos conferia segurança e comodidade. Mas, não fosse essa dolorosa experiência, não haveria nascimento, nem crescimento, nem desenvolvimento. Apenas morte.

Deus viu que o povo precisava amadurecer antes de adentrar a terra prometida; com efeito, Israel também precisava se livrar dos vícios adquiridos em 400 anos de escravidão. Se eles tivessem saído do Egito e entrado em Canaã, um mês e meio depois, eles teriam estragado Canaã. Do mesmo modo, nós. Se Deus nos abençoar no exato momento em que suplicamos, é certo que não saberemos aproveitá-las e desfrutá-las adequadamente. A imaturidade estraga as bênçãos de Deus.

Se você está passando por um momento difícil em sua vida, não murmure, nem acuse; apenas ore e agradeça a Deus pela grande oportunidade que Ele está lhe concedendo de crescer um pouco mais. Veja cada luta ou provação como um deserto necessário em sua vida. Ao invés de perguntar “por quê?”, pergunte “para quê?”. Pois há sempre um propósito divino por detrás de cada sofrimento. Certa vez, Pedro disse a Jesus: “Mestre, eu não entendo o que o Senhor está fazendo?”. Jesus lhe respondeu: “O que você não compreende hoje, compreenderá amanhã” (João 13.6,7).

Talvez você não consiga compreender as coisas que estão lhe acontecendo hoje; mas, descanse em Deus. O deserto vai passar e, se você o encarou com a humildade de quem conhece e confia em Deus, vai perceber o quanto o deserto foi necessário à sua vida.“Senhor, ajuda-nos a ver cada problema como uma oportunidade de crescimento e amadurecimento. Livra-nos da murmuração que nos torna amargos e mata a nossa esperança, e nos faz acreditar mais no poder do teu amor, do que no poder destrutivo das circunstâncias. Por Jesus, nosso Senhor e Salvador. Amém”.

terça-feira, 28 de junho de 2011

MEDITAÇÕES:

“Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor.” Paulo Freire

“Para os crentes Deus está no princípio das coisas. Para os cientistas no final de toda a reflexão.”
Max Planc

“Que os homens aprendam pelo menos qual a fé que rejeitam antes de rejeitá-la.”
Blaise Pascal

“A fé não subsiste em simples oposição à dúvida, mas continua embutida na dúvida até o final. Elas coexistem.”
John Caputo

“O macaco é um animal demasiado simpático para que o homem descenda dele.”
Friedrich Nietzsche

“Deus não despede ninguém vazio, exceto aqueles que estão cheios de si mesmos.”
Dwight Moody

“O propósito da vida é viver uma vida de propósito.”
Richard Leider

“Desfrute as pequenas coisas, porque um dia você poderá olhar para trás e perceber que elas eram grandes coisas.”
Robert Brault

“De nada adianta correr se estamos na estrada errada.”
Provérbio alemão

“É preciso que eu suporte duas ou três lagartas se quiser conhecer as borboletas.”
Saint-Exupèry

“A evolução é erroneamente tomada como uma explicação. Ela tem o condão fatal de deixar em muitas mentes a impressão de que elas a entendem e entendem todo o resto; da mesma forma que muitos alimentam a falsa impressão de que leram
A Origem das Espécies. [...] perpassa todo o tratamento racionalista da história essa ideia curiosa e confusa de que a dificuldade é evitada, ou mesmo o mistério é eliminado, pela consideração da simples protelação ou de algo que retarde o processo das coisas. [...] a questão aqui é a falsa atmosfera de facilidade e despreocupação conferida pela mera sugestão de ir devagar.” G. K. Chesterton, O Homem Eterno, p. 25

“Os cristãos, se fossem realmente remidos, deviam parecer mais alegres.”
Friedrich Nietzsche

“Fé não é acreditar que Deus pode, mas que Deus quer.”
Abrahan Lincoln

“Há tanta coisa boa no pior de nós, e tanta coisa ruim no melhor de nós, que dificilmente convém a qualquer de nós falar sobre o resto de nós.”
Edward Wllis Hoch

“Dúvida é uma pergunta sincera. Descrença é não querer ouvir a resposta.”
Ian Judson

“Fé não é acreditar sem provas, é confiar sem reservas — confiança em um Deus que Se mostrou digno dessa confiança.”
Michael Green

“Antes de escrever, deve-se aprender a pensar.”
Nicolas Boileau

“O cristianismo, se é falso, não tem nenhuma importância, e, se é verdade, tem infinita importância. O que ele não pode ser é de moderada importância.”
C. S. Lewis

“A conversão tira o cristão do mundo; a santificação tira o mundo do cristão.”
John Wesley

“Você não é tão mau para ingressar na igreja, nem tão bom para permanecer afastado dela.”
E. C. McKenzie

“A competição desperta o que há de melhor nos produtos e o que há de pior nas pessoas.”
David Sarnoff

“Um homem que ousa desperdiçar uma hora ainda não descobriu o valor da vida.”
Charles Darwin

“Tanta gente quer entrar no Big Brother. Pra quê? Pra começar uma carreira de ex-BBB? Começar a ser
ex?” Alexandre Santos e Silva

“A Internet aproxima quem tá longe, mas afasta quem tá perto.”
Lídia Freitas

“Se eu crer em Gênesis 1:1, 'No princípio Deus...', o restante da Bíblia não será problema para mim.”
A. W. Tozier

“Não encontro dificuldade em Jonas ser engolido por um peixe. Eu acreditaria no relato ainda que a Bíblia dissesse que foi Jonas que engoliu o peixe!”
Billy Graham

“É bom desmascarar os nossos pecados, para que eles não nos desmascarem.”
Thomas Watson

“Os ateus têm um deus em que nem eles acreditam.”
Millôr Fernandes

“Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas; os livros só mudam as pessoas.”
Mário Quintana

“Na boca de quem não presta quem presta não vale nada.”
Anônimo

“Um homem piedoso não irá até onde ele pode, para que não vá mais adiante do que ele deve.”
Thomas Watson

“Aquele que aprendeu a lidar construtivamente com sua angústia, aprendeu o mais importante.”
Soren Kierkegard

“Não é que eles não vejam a solução. O que eles não enxergam é o problema.”
G. K. Chesterton, escritor britânico

“A ciência nos dá o conhecimento do mundo e a religião nos dá o significado.”
Michael Keller, pesquisador polonês que formulou a Teologia da Ciência

“Gene é o programa mais sofisticado que roda por aí.”
Bill Gates

“Em geral o homem crê só por ouvir discursos. Deveria, porém, raciocinar um pouco.”
Johann Wolfgan von Goethe, escritor alemão

“Onde está a vida que perdemos vivendo? Onde está a sabedoria que perdemos com o conhecimento? Onde está o conhecimento que perdemos com a informação? Os ciclos do céu em vinte séculos nos levaram para mais longe de Deus e mais próximos do pó.”
T. S. Eliot (1888-1965)

“Uma vida sem ponderação não é digna de ser vivida.”
Sócrates

“A ignorância não fica tão distante da verdade quanto o preconceito.”
Denis Diderot

“Não desperdice o tempo, pois é disso que a vida é feita.”
Benjamin Franklin

“Nenhum homem é honesto, até que seja honesto para com Deus.”
Roy Smith

“Um pouco de filosofia inclina a mente do homem para o ateísmo, mas a profundidade em filosofia o avizinha da religião.”
Francis Bacon

“A superstição é para a religião o que a borra é para o vinho, e os resíduos para os metais.”
Benjamin Franklin

“O cristão é a Bíblia do mundo; mas em alguns casos uma revisão se torna necessária.”
Dwight Moody

“Quase sempre preferimos o conforto da opinião sem o desconforto da reflexão.”
John F. Kennedy

“O cara só é sinceramente ateu quando está muito bem de saúde.”
Millôr Fernandes

“Quem se senta no fundo de um poço para contemplar o céu, há de achá-lo pequeno.”
Han Yu

“A probabilidade de a vida originar-se por acaso é comparável à probabilidade de um dicionário completo surgir como resultado da explosão de uma tipografia.”
Edwin Conklin

“Os preconceitos ocupam uma parte do espírito e infectam a outra.”
Nicolas de Malebranche

“Nunca tenha medo da dúvida se você tem a disposição de acreditar.”
Samuel Coleridge

“A fé e a razão caminham juntas, mas a fé vai mais longe.”
Agostinho

“Um homem sem um país é um exilado no mundo; um homem sem Deus é um órfão na eternidade.”
Henry van Dyke

“Algumas das maiores dádivas de Deus são preces não atendidas.”
Garth Brooks

“Se você pensa que alguma coisa está certa só porque todos acham isso, não está pensando.”
Vivienne Westwood

“O Universo, por si só, exige a existência de um ser superior que foi capaz de fazer dele uma realidade. Se não há um Deus Criador, então, fica difícil, senão impossível, explicar a existência da vida.”
Guttfried Wilhelm Leibnitz

“Cada fórmula que expressa a lei da natureza é um hino de louvor a Deus.”
Maria Mitchell

“O darwinismo funciona como o mito cosmológico central da cultura moderna - como a peça central de um sistema quase religioso que é conhecido como sendo verdadeiro
a priori em vez de uma hipótese científica que deve ser submetida a rigoroso teste.” Phillip Johnson, Darwin on Trial [Darwin no banco dos réus]

“Não há nenhum pensamento importante que a burrice não saiba usar, ela é móvel para todos os lados e pode vestir todos os trajes da verdade. A verdade, porém, tem apenas um vestido de cada vez e só um caminho, e está sempre em desvantagem.”
Robert Musil, em O Homem sem Qualidades

“Ninguém ignora tudo. Ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre.”
Paulo Freire

“Preocupe-se mais com seu caráter do que com sua reputação. Caráter é aquilo que você é, reputação é apenas o que os outros pensam que você é.”
John Wooden

“Pertencemos ao lugar aonde queremos ir.”
Wernher Von Braun

“Quando se crê em Deus, não há cotidiano sem Milagres.”
Nikos Kazantzakis

“Não podemos mostrar a Cristo nosso amor, porque não podemos vê-Lo. Mas diariamente encontramos nossos vizinhos - podemos fazer por eles o que gostaríamos de fazer por Cristo.”
Madre Teresa de Calcutá

“Há um vazio no formato de Deus no coração de todo homem.”
Blaise Pascal

“Nossos corações não repousam até que encontrem repouso em Ti.”
Agostinho

“A desgraça do ignorante consiste em julgar, não sendo ele nem distinto nem inteligente, que o é o quanto lhe basta; ora, quem não se vê carecido de alguma coisa, não aspira àquilo que não imagina lhe esteja faltando.”
Sócrates

“A praga de nossa época é a falta de sentido. A pessoa moderna tem meios para viver, mas muitas vezes não tem um significado pelo qual viver.”
Victor Frankl

“Aquele que tem um porquê pelo qual viver pode suportar quase qualquer coisa.”
Friedrich Nietzsche

“O hoje é meu. O amanhã não é da minha conta. Se eu insistir em tentar olhar pelo nevoeiro do futuro, vou estragar meus olhos espirituais e isso impedirá que eu veja claramente o que é exigido de mim agora.” Elisabeth Elliot,
Keep a Quiet Heart

“As pessoas viajam para admirar a altura das montanhas, as imensas ondas dos mares, o longo percurso dos rios, o vasto domínio do oceano, o movimento circular das estrelas e, no entanto, elas passam por si mesmas sem se admirarem.” Santo Agostinho

A HISTORICIDADE DO LIVRO DE DANIEL


Há pelo menos três bons motivos para acreditarmos que o livro de Daniel é confiável do ponto de vista histórico e que de fato foi escrito no 6º século antes de Cristo:

1) A arqueologia tem reconstruído as informações históricas do livro de Daniel.


a) Toda a história desse profeta hebreu se passa na cidade de Babilônia. Os críticos da Bíblia afirmavam que se Babilônia realmente houvesse existido, não passaria de um pequeno clã. A arqueologia demonstrou o oposto. Os resultados dos estudos do arqueólogo alemão Robert Koldewey, feitos entre 1899 e 1917, provaram que Babilônia era um grande centro econômico e político no Antigo Oriente Médio na metade do 1º milênio a.C. (600 a.C.).

b) Outro ponto de questionamento era sobre a existência ou não de Nabucodonosor, rei de Babilônia na época do profeta Daniel. Mais uma vez a arqueologia resolveu a questão trazendo à luz muitos tabletes que foram encontrados nas ruínas escavadas por Koldewey com o nome Nabu-Kudurru-Usur, ou seja, Nabucodonosor! Não é incrível como um tablete de 2.600 anos consegue esmiuçar teorias fundamentadas no silêncio?

c) Assim como a opinião dos críticos teve que ser radicalmente mudada a respeito de Babilônia e de Nabucodonosor, o mesmo aconteceu com Belsazar, o último rei da Babilônia. Críticos modernos não concordavam com essa informação. Novamente a arqueologia refutou essa opinião. Vários tabletes cuneiformes confirmam que Nabonido, o último rei de Babilônia, deixou seu filho Bel-Shar-Usur (Belsazar) cuidando do Império enquanto ele estava em Temã, na Arábia. Você pode confirmar em Daniel 5:7 que Belsazar ofereceu para Daniel o terceiro lugar no reino, já que o pai, Nabonido, era o primeiro e ele, Belsazar, o segundo.

d) Até os amigos de Daniel estão documentados nos tabletes cuneiformes da antiga Babilônia. Foi descoberto um prisma de argila, publicado em 1931, contendo o nome dos oficiais de Nabucodonosor. Três nomes nos interessam: Hanunu (Hananias), Ardi-Nabu (Abed Nego) e Mushallim-Marduk (Mesaque). Incrível! Os mesmos nomes dos companheiros de Daniel mencionados nos capítulos 1, 2 e 3 de seu livro! Um grande defensor dessa associação é o adventista e especialista em estudos orientais William Shea, em seu artigo: “Daniel 3: Extra-biblical texts and the convocation on the plain of Dura”, AUSS 20:1 [Spring, 1982] 29-52. Hoje esse artefato encontra-se no Museu de Istambul, na Turquia.

Resumindo: as informações históricas do livro de Daniel são confirmadas pela arqueologia bíblica.

2) Por muitos anos os defensores da composição do livro de Daniel no 2º século a.C. se valeram das palavras gregas do capítulo 3 para “confirmar” a autoria da obra no período helenístico. Essa opinião apresenta dois problemas sérios:


a) Há ampla documentação do relacionamento entre os gregos e os impérios da Mesopotâmia antes mesmo do 6º século a.C. Nos registros do rei assírio Sargão II, por exemplo, fala-se sobre cativos da região da Macedônia (Cicília, Lídia, Ionia e Chipre). Se os judeus em Babilônia eram solicitados para tocar canções judaicas (Salmo 137:3), por que não imaginar o mesmo com os gregos? Um poeta grego chamado Alcaeus de Lesbos (600 a.C.) menciona que seu irmão Antimenidas estava servindo no exército de Babilônia. Logo, não nos deve causar espanto algum o fato de termos na orquestra babilônica instrumentos gregos.

b) Se o livro de Daniel foi escrito durante o período de dominação grega sobre os judeus, por que há apenas três palavras gregas ao longo de todo o livro? Por que não há costumes helenísticos em nenhum dos incidentes do livro numa época em que os judeus eram fortemente influenciados pelos filósofos da Grécia? Esse fato parece negar uma data no 2º século a.C.

Resumindo: o fato de existirem palavras gregas no terceiro capítulo de Daniel não prova sua composição no 2º século a.C., pelo contrário, intercâmbio cultural entre Babilônia e Grécia era comum antes mesmo do 6º século a.C.

3) Daniel foi escrito em dois idiomas: hebraico (1:1-2:4 e 8:1-12:13) e aramaico (2:4b-7:28).


Diversos nomes no estudo do aramaico bíblico (Kenneth Kitchen, Gleason Archer Jr, Franz Rosenthal, por exemplo) afirmam que o aramaico usado por Daniel difere em muito do aramaico utilizado nos Manuscritos do Mar Morto que datam do 2º século a.C. Para Archer Jr., a morfologia, o vocabulário e a sintaxe do aramaico do livro de Daniel são bem mais antigos do que os textos encontrados no deserto da Judéia. Não só isso, mas que o tipo da língua que Daniel utilizou para escrever era o mesmo utilizado nas “cortes” por volta do 7º século a.C.

Resumindo: o aramaico utilizado por Daniel corresponde justamente àquele utilizado em meados no 6º século a.C. nas cortes reais.

Qual a relevância dessas informações para um leitor da Bíblia no século 21? Gostaria de destacar dois pontos para responder esta questão:

1) Como foi demonstrado acima, Daniel escreveu seu livro muito antes do cumprimento de suas profecias. Logo, isso nos mostra a Soberania e Autoridade de Deus sobre a história da civilização. Se Deus é capaz de comandar o futuro, Ele é a única resposta para os problemas da humanidade.

2) A inspiração das Escrituras. O livro de Daniel se mostrou confiável no ponto de vista histórico e, consequentemente, profético. Essa é a realidade com toda a Bíblia, que graças a descobertas de cidades, personagens e inscrições, mostra-se verdadeira para o ser humano.

O livro de Daniel, longe de ser uma fraude, é um relato fidedigno. Ao escavarmos profundamente as Escrituras e estudarmos a História, podemos perceber que a Bíblia é um documento histórico confiável.

domingo, 26 de junho de 2011

A PARÁBOLA DO FILHO PRÓDIGO:


"E disse: Certo homem tinha dois filhos; e o mais moço disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda." Lc 15: 11 e 12 segue até o verso 32.


O filho mais novo via o pai como alguém rude, incapaz de compartilhar de todos os bens, por isso, exige sua parte da herança. A rebeldia, entretanto, estava no filho, que descumprindo a lei judaica, se torna herdeiro antes da morte do pai.

Desperdiça toda herança, fica na miséria. Pobre e infeliz resolve pedir ajuda a um fazendeiro. Pensou encontrar ali abrigo, comida e misericórdia, mas, não foi o que aconteceu. Sentiu fome, frio e solidão, dia após dia."E ninguém lhe dava nada" (v.16)


"E tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!"(v.17)Ele percebeu que o pai era bondoso, generoso até mesmo com os trabalhadores (com quem não tinha parentesco), não seria com ele, filho? Percebeu que os bens materiais não foram capazes de fazê-lo feliz. Entendeu que ninguém o compreenderia tão bem quanto seu Pai.




Quantas pessoas estão passando por problema semelhante? O pai da parábola, representa Deus. Muitos, por não conhecê-lo, julgam-no distante, impiedoso e egoísta. Incapaz de compreender sentimentos, de amar os injustos pecadores. Optam por viver afastados, recebendo apenas "a parte que lhe cabe na herança" (a vida com suas mazelas).

Procuram ajuda nos "fazendeiros" do mundo, que só têm olhos para seus "porcos",ou seja, suas vidas sujas, imundas como um chiqueiro. "fazendeiros" que nada têm a oferecer, porque desconhecem o Pai.


Arrependido, o filho volta para casa. Imagino-o derramando lágrimas durante a viagem. Quantas lembranças do pai...


"Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e veste-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés" (versos 21 e 22)


As vestes representam um novo espírito, o anel, uma nova aliança, desta feita, eterna. As sandálias, representam um novo caminho. O filho agora, estava bem abrigado nos braços do Pai.


O Filho mais velho


Recebeu do pai, conforme a lei, uma maior parte da herança (dois terços), enquanto o mais novo(um terço). Nunca deixara a casa do pai, era moderado e cumpria com seus deveres, porém, nunca investira em um relacionamento com o pai. Por isso, não o conhecia. Sua falta de amor era tamanha que sequer consegue chamar "meu irmão" e se refere ao irmão como: "este teu filho" (v.30).

Mesmo tenho muitos bens, faz questão do cabrito matado para festa do irmão: "Nunca me deste um cabrito (V.29). Era egoísta.Esse filho representa os fariseus. A casa do pai, representa o templo, a igreja. Está no templo, não significa necessariamente, conhecer a Deus.


Esse filho também precisa de arrependimento, salvação, encontro íntimo e real com seu pai(Deus). Esse filho ainda não conhece o verdadeiro amor, pois, nunca buscou-o.


A mãe do filho pródigo

Entendo que não por acaso, Jesus contou três parábolas seguidas, presentes em Lucas 15: A parábola da Ovelha Desgarrada, Dracma Perdida e Filho Pródigo. Há semelhança entre as três que se relacionam entre si. Todas falam do resgate do pecador arrependido e da necessidade de arrependimento dos fariseus.

Vejo que na Parábola da Ovelha, o Pastor é Jesus. Na Dracma Perdida, a mãe é a Igreja, a Candeia, O Espírito Santo. No Filho Pródigo- o Pai É Deus.
Então: Aqui está o papel da Trindade na salvação do homem.

Jesus É o bom Pastor que deu sua vida pelas ovelhas, seu sacrifício na cruz, redime o homem de todo pecado, conduzindo-o a salvação. A Igreja é representante de Deus, necessita ter o fogo do Espírito Santo, a candeia acesa para ir em busca dos perdidos. Deus está sempre esperando os filhos retornarem para casa, Ele sempre os recebe com alegria e amor. Houve festa no céu na parábola da Ovelha, festa na casa da mulher, na parábola da dracma, festa na casa do filho pródigo.


Então
: Sendo a igreja a mãe, a mesma que buscou a dracma, ela está presente na parábola do filho pródigo. Ela é a casa do filho pródigo. Uma casa que manteve a candeia acesa por todo o tempo em que o filho esteve distante. àquele pai, deve ter orado pela volta do filho, derramado lágrimas em suas petições a Deus. É assim que agem os cristãos cheios do Espírito Santo.

O filho mais velho estava sempre em casa(Igreja) só que sua candeia estava apagada. Ele não se alegrou com a volta do irmão, não orava por isso, sequer procurava saber como estava. Ele é o retrato da Igreja inoperante, morta, sem amor pelos perdidos, ou mesmo pelos que já se encontram salvos.


Esse estudo foi para mim, renovador, revelador. Desejo que assim seja para você também. Que ele fale profundamente ao seu coração. Amém.

O QUE É ADORAÇÃO?




Nada é mais importante do que a adoração. Lutero disse: "Ter um Deus é adorar a Deus". Adorar a Deus é atribuir-lhe o valor de que é digno, conforme a palavra inglesa "worship" = "valor reconhecido". Frederick W. Robertsosn afirma: "Repito, o homem não tem opção para ser ou não ser um adorador. Um adorador ele não pode deixar de ser - a única questão é decidir o que ele vai adorar. Todo homem adora - pois é um adorador nato". Adorar a Deus. Esta é a nossa razão de ser como cristão e igreja. Pedro declara: "Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo." (I Pedro 2:5).
Por definição, a Igreja é uma comunidade de adoradores. Ela existe para adorar. Ela é uma casa espiritual, um sacerdócio santo e real. João afirma: "Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!" (Apocalipse 1:5-6). "Adoração não é uma opção, é uma obrigação; não é luxo, é uma necessidade. Adorar a Deus e glorificá-lo é a única coisa que a igreja pode fazer e que nenhuma outra assembléia pode fazer. Não estou certo de que estejamos fazendo isto" diz Warren W. Wiersbe.
Quando adoramos ou cultuamos prestamos um serviço espiritual a Deus. Adorar é servir e trabalhar para Deus, em reconhecimento por tudo que Ele é e faz por nós. Adorar é obedecer a "convocação santa" de Deus.

ADORAÇÃO:


1. Cremos que a Bíblia estabelece a maneira como Deus quer ser cultuado.Êxodo 20:1-6; Deuteronômio 6:13-15). Quando Israel resolveu por conta própria cultuar a Deus, o profeta Jeremias protesta: “Edificaram os altos de Tofete, que está no vale do filho de Hinom, para queimarem a seus filhos e a suas filhas; o que nunca ordenei, nem me passou pela mente.” (Jeremias 7:31). Deus rejeita a Israel, pois a sua adoração nunca foi ordenada por Deus ou jamais passou pela mente do Senhor. A Bíblia regulamenta o culto, na sua forma e no seu conteúdo. Qualquer culto elaborado por conta própria e que não esteja de acordo com as normas de Deus é falso e inaceitável a Deus. (
2. Cremos que o culto a Deus é uma antítese da vida e do culto pagão.Quando o SENHOR, teu Deus, eliminar de diante de ti as nações, para as quais vais para possuí-las, e as desapossares e habitares na sua terra, guarda-te, não te enlaces com imitá-las, após terem sido destruídas diante de ti; e que não indagues acerca dos seus deuses, dizendo: Assim como serviram estas nações aos seus deuses, do mesmo modo também farei eu. Não farás assim ao SENHOR, teu Deus, porque tudo o que é abominável ao SENHOR e que ele odeia fizeram eles a seus deuses, pois até seus filhos e suas filhas queimaram aos seus deuses. Tudo o que eu te ordeno observarás; nada lhe acrescentarás, nem diminuirás.” (Deuteronômio 12:29-32). O culto a Deus é único, inédito, inigualável e exclusivo. Ele não é uma imitação do culto pagão. Deus recomenda a Israel: “
3. Entendemos que o conceito de adoração na Bíblia envolve a vida do adorador e não apenas o momento do culto. A vida é o culto e o culto é a vida. Deus diz ao seu povo: “Agora, pois, ó Israel, que é que o SENHOR requer de ti? Não é que temas o SENHOR, teu Deus, e andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma, para guardares os mandamentos do SENHOR e os seus estatutos que hoje te ordeno, para o teu bem?” (Deuteronômio 10:12-13).
4. Cremos que o ensino do culto na Bíblia revela uma simultaneidade com a revelação progressiva de Deus, culminando com Jesus Cristo.Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” (João 4:23-24). Logo, ao estudarmos acerca do culto, precisamos considerar as diferenças entre o culto no Antigo Testamento e no Novo Testamento, isto é, o culto antes de Cristo e depois de Cristo.
5. Entendo que o crescimento espiritual da igreja e a sua influência espiritual fundamenta-se na sua prática de adoração. Antes de pensarmos em fazer qualquer coisa na igreja, precisamos restaurar o altar da adoração em nossas vidas pessoais, no nosso lar e na nossa igreja. “Adoração não é uma opção, é uma obrigação; não é luxo, é uma necessidade. Adorar a Deus e glorificá-lo é a única coisa que a igreja pode fazer e que nenhuma outra assembleia pode fazer. Não estou certo de que estejamos fazendo isto. ‘A única coisa que pode salvar este mundo do caos político e do colapso é a adoração. A única esperança do mundo é a igreja e a única esperança da igreja é o retorno à adoração’. Deus precisa transformar o Seu povo e a Sua Igreja antes que Ele possa operar por meio de nós a fim de saciar as necessidades cruciais de um mundo perdido no pecado. Cada ministério da igreja deveria ser um subproduto da adoração. Ministério divorciado de adoração não tem raízes, portanto não pode produzir frutos que permaneçam.”

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Volte Logo! Jesus Te Ama.




GOSPEL: UM DISFARCE!

“Gospel” Um Disfarce!


On 06.07.11, In Artigos, by Odair

GOSPEL: UM DISFARCE!… por: Eni José de Oliveira

Cantores sertanejos, grupos de rock, funk, pagode, e muitos outros rítimos frenéticos, que de espiritualidade não tem nada, dizem ser musicas GOSPEL.

Esta palavra não consta do nosso vocabulário e nem do dicionário da língua portuguesa, e sim, é uma palavra da língua inglesa.

O nosso povo tem como mania copiar o que vem de fora, e é ai que surgem os aproveitadores para explorar o evangelho.

E muitos cantores da musica popular que não sabem o que é ser crentes ou não sabem o que é ser evangélico e muito menos o que é conversão.

Faz questão de gravar as musicas evangélicas, se disfarçando com o nome de gospel que só serve para confundir o povo de Deus.

Que além de apoiar os grandes eventos com suas presenças, ainda compram suas músicas.

Os promotores dos eventos acham que se usar o nome de música evangélica, não vai conseguir fazer sucesso, e todos querem faturar, e faturar muito.

Gospel, uma palavra feia e de muito mau gosto para ser copiada, já pensou quando, o pastor convocar a igreja para fazer o trabalho de evangelização, que confusão vai gerar se usar esta palavra.

Imaginem só, o pastor falando, hoje vamos gospelar em praça pública, a frase certa seria, hoje vamos evangelizar em praça publica.

Ou ainda perguntar se o irmão já gospelou o seu vizinho ou seu amigo, ai o irmão responde, não pastor, mas’ ainda vou gospelar.

Por outro lado, tente conjugar os verbos gospel em todas as suas estações, vão achar muito engraçado muito curioso e muito ridículo.

Ou vais sentir nojo e vai chegar à conclusão, de que não vale a pena trocar as palavras, o nosso português é muito mais bonito e muito mais saudável para se pronunciar.

Recentemente, uma determinada igreja evangélica estava promovendo uma série de conferências, e tiveram a idéia de convidar certo cantor famoso, que estava fazendo o maior sucesso com suas musicas *Gospel*.

A igreja mandou seu representante tratar de toda a papelada de contrato.

Chegando a seu hotel, foi recebido pelo seu empresário, depois de algumas conversas, disse que gostaria de conhecê-lo pessoalmente.

E foi conduzido até onde ele estava; tamanha foi a sua surpresa quando se deparou com ele em uma sala de sinuca, todo desarrumado, e tomando cerveja em companhia de mulheres prostitutas.

O representante da igreja decepcionado, indagou, mas’ ele não é crente? O empresário sem saber o que falar respondeu que eu saiba não, ele só grava musicas evangélicas porque é sucesso garantido, e fatura muito.

E ali mesmo foi desfeito o convite e o representante envergonhado foi prestar relatório do que presenciara para igreja.

O mundanismo está sendo infiltrado no meio dos evangélicos através desta palavra.

Pessoas que não tem nada a ver com o trabalho de Deus se acham no direito de cantar e gravar músicas evangélicas com o nome de músicas gospel.

Isto sem contar que trazem também os maus costumes, assim como tatuagens pelo corpo, pielrsing e as modas escandalosas das roupas.

Sua única finalidade é ganhar fama, popularidade e aumentar o seu faturamento, usam o nome gospel para disfarçar a verdadeira intenção que é de banalizar o evangelho e deturpar o seu verdadeiro sentido que é de ganhar almas para Cristo.

Até mesmo em carnavais ou em bailes de fim de semana, ou em ambiente promíscuos assim como cabarés e outros estabelecimentos de prostituição, cantam e dançam as musicas *GOSPEL*.

Em vista disto, o verdadeiro beneficiado, é satanás, pois está feliz com as atitudes de seus súditos

Escrito por: Eni José de Oliveira

http://enijoliveira.multiply.com

REFLEXÔES:




Salmos para reflexão

SALMOS  1
1) -  BEM-AVENTURADO o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
2) -  Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.
3) -  Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.
4) -  Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.
5) -  Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.
ags:

Reflexão

Evangelho  de João Cap: 3
(3:15) -  Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
( 3:16) -  Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
(3:17) -  Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.


Bom final de semana

(ISAIAS 64:4) –  Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera.

Você precisa colocar a sua fé em ação, não tenha medo de crescer, não tenha medo de fazer, não tenha medo de tentar… o medo nos leva ao fracasso, o medo nos impede de tomarmos decisões importantes… o medo nos faz sempre deixar para depois o que poderia ser feito hoje.
Quando Deus está no comando, fio de cabelo se transforma em cabo de aço… Não tenha duvida, Deus está trabalhando para que seu sucesso chegue ainda mais rápido… Faça a sua parte.
Tenha um bom final de semana com a benção do Pai, Filho e Espirito Santo


Sobre a Biblia

COMO AS ESCRITURAS CHEGARAM ATÉ NOS
A história de como a Bíblia chegou até nós, na forma em que a conhecemos, é longa e fascinante. Ela começa com os manuscritos originais, ou “autógrafos”, como são às vezes chamados. Esses textos originais foram escritos por homens da antigüidade movidos pelo Espírito Santo (2Tm 3:16; 2Pe 1:20,21).
Durante anos, os céticos declaram que Moisés não poderia ter escrito a primeira parte da Bíblia porque a escrita era desconhecida na época (1500 A.C). A ciência da arqueologia provou desde então que a escrita já era conhecida milhares de anos antes dos dias de Moisés. Os sumérios já escreviam cerca de 4000 A.C., e os egípcios e babilônios quase nessa mesma época.
– Materiais antigos de escrita
1) – PEDRA
Muitas inscrições famosas encontradas no Egito e Babilônia foram escritas em pedra. Deus deu a Moisés os Dez Mandamento escritos em tábuas de pedra ( Êx 31:18, 34:1,28). Dois outros exemplos são a Pedra Moabita ( 850 A.C ) e a Inscrição de Siloé, encontrada no túnel de Ezequias, junto ao tanque de Siloé (700 A.C).
2) – ARGILA
O material de escrita predominante na Assíria e Balônia era a argila, preparada em pequenos tabletes e impressa com símbolos em forma de cunha chamados de escrita cuneiforme, e depois assada em um forno ou seca ao sol. Milhares desse tabletes foram encontrados pelas pás dos arqueólogos.
3 – MADEIRA
Tábuas de madeira foram bastante usadas pelos antigos para escrever. Durante muitos séculos a madeira foi a superfície comum para escrever entre os gregos. Alguns acreditam que este tipo de material de escrita é mencionado em Isaías 30:8 e Habacuque 2:2.
4 – COURO
Talmude judeu exigia especificamente que as Escrituras fossem copiadas sobre peles de animais, sobre couro. É praticamente certo, então, que o Antigo Testamento foi escrito em couro. Eram feitos rolos, costurando juntas as peles que mediam de alguns metros a 30 perpendiculares ao rolo. Os rolos, entre 26 e 70cm de altura, eram enrolados em um ou dois pedaços de pau.
5 – PAPIRO
É quase certo que o Novo Testamento foi escrito sobre papiro, por ser este o material de escrita mais importante na época. O papiro é feito cortando-se em tiras seções delgadas de cana de papiro, empapando-as em vários banhos de água, e depois sobrepondo-as umas às outras para formar folhas. Uma camada de tiras era colocada por sobre a primeira, e depois as punham numa prensa, a fim de aderirem uma às outras. As folhas tinham de 15 a 38 cm de altura e 8 a 23 cm de largura. Rolos de qualquer comprimento eram preparados colocando juntas as folhas . Geralmente mediam cerca de 10m de comprimento.
6 – VELINO OU PERGAMINHO
Velino começou a predominar mediante os esforços do rei Eumenes ll, de pérgamo (197-158 A.C). Ele procurou formar sua biblioteca, mas o rei do Egito cortou o seu suprimento de papiro, sendo-lhe então necessário obter um novo processo para o tratamento de peles. O resultado é conhecido como velino ou pergaminho. Embora os termos sejam usados intercambiavelmente, o velino era preparado originalmente com a pele de bezerros e antílopes, enquanto o pergaminho era de pele  de ovelhas e cabras. Obtinha-se assim um couro de excelente qualidade, preparado especial e cuidadosamente para receber escrita de ambos os lados. Este tipo de material foi utilizado centenas de anos antes de Cristo e,  por volta do século IV A.D., ele suplantou o papiro. Quase todos os manuscritos conhecidos são em velino.

Idiomas usados

1) – HEBRAICO
Quase todos os 39 livros do Antigo Testamento foram escritos em hebraico. As letras tipo bloco eram escritas em maiúsculas, sem vogais, sem espaços entre palavras, frases ou parágrafos, e sem pontuação. Os pontos das vogais foram acrescentados mais tarde (entre 500 e 600 A.D.) pelos eruditos massoretas. O hebraico é conhecido como um dos idiomas semíticos.
2) – ARAMAICO
Um idioma aparentado com o hebraico, o aramaico tornou-se a língua comum na Palestina depois do cativeiro babilônico (c.500 A.C.) Algumas partes do antigo Testamento foram escritas nesse idioma: uma palavra designando nome de lugar em Gênesis 31:47; um versículo em Jeremias 10:11; cerca de seis capítulos no livro de Daniel (2:4b – 7:28); e vários capítulos em Esdras (4:8-6:18; 7:12-26).
Aramaico continuou sendo o vernáculo da Palestina durante vários séculos. Temos assim algumas palavras aramaicas preservadas para nós no Novo Testamento: Talitha Cumi ( “Menina, levanta-te”), em Marcos 5:41; Ephphatha ( “Abre-te”), em Marcos 7:34; Eli, Eli lama sabachthani ( “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?), em Mateus 27:46. Jesus se dirigia habitualmente a Deus como Abba (aramaico “Pai”). Note a influência disto em Romanos 8:15 e Gálatas 4:6. Outra frase comum dos primeiros cristãos era Maranatha (”Vem, nosso Senhor”), em 1Coríntios 16:22.
3) – GREGO
Apesar de Jesus falar aramaico, o Novo Testamento foi escrito em grego – grego Koinê. A mão de Deus pode ser vista nisto, porque o grego era o idioma internacional do século I, tornando assim possível a divulgação do evangelho através de todo o mundo então conhecido.

Meditação

(Salmos 13)

1) –  ATÉ quando te esquecerás de mim, SENHOR? Para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto?
2) – Até quando consultarei com a minha alma, tendo tristeza no meu coração cada dia? Até quando se exaltará sobre mim o meu inimigo?
3) – Atende-me, ouve-me, ó SENHOR meu Deus; ilumina os meus olhos para que eu não adormeça na morte;
4) –  Para que o meu inimigo não diga: Prevaleci contra ele; e os meus adversários não se alegrem, vindo eu a vacilar.
5) –  Mas eu confio na tua benignidade; na tua salvação se alegrará o meu coração.
6) –  Cantarei ao SENHOR, porquanto me tem feito muito bem.

Reflexão

(ISAIAS 43:2 e 3)

Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.  Porque eu sou o SENHOR teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador…


terça-feira, 7 de junho de 2011

FRASES DE MARTIN LUTHER KING:

A maior de todas as virtudes é o amor. Neste mundo que repousa sobre a força, a tirania e a violência , tende como missão seguir o caminho do amor; descobrireis assim que o amor, desarmado, é a força mais poderosa do mundo. 

 

A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio.

 

Suba o primeiro degrau com fé. Você não tem que ver toda a escada. Você só precisa dar o primeiro passo.


Quem foi 

Martin Luther King, Jr. foi um importante pastor evangélico e ativista político norte-americano. Lutou em defesa dos direitos sociais para os negros e mulheres, combatendo o preconceito e o racismo. Defendia a luta pacífica, baseada no amor ao próximo, como forma de construir um mundo melhor, baseado na igualdade de direitos sociais e econômicos.
Biografia
- Marthin Luther King nasceu em 15 de janeiro de 1929 na cidade de Atlanta (estado da Geórgia).
- Formou-se em sociologia em 1948 na Morehouse College.
- Em 1951 formou-se no Seminário Teológico Crozer.
- Em 1954, tornou-se pastor da Igreja Batista da cidade de Montgomery (estado da Virgínia).
- Em 1953, casou-se com Coretta Scott King com quem teve quatro filhos.
- Em 1955, tornou-se Phd em Teologia Sistemática pela Universidade de Boston.
- Em 1955, foi um dos líderes ao boicote às empresas de ônibus da cidade de Montgomery. Este boicote era para pressionar o governo a acabar com a discriminação que havia contra os negros no transporte público dos Estados Unidos. A Suprema Corte Americana acatou as reivindicações dos ativistas e terminou com a discriminação no sistema de transportes públicos.
- Em 1957, participou da fundação da Conferência de Liderança Cristã do Sul. Luther King liderou a CLCS, que lutava pelos direitos civis.
- Na década de 1960, Luther King liderou várias marchas de protesto e manifestações pacíficas em defesa dos direitos iguais entre brancos e negros e o fim do preconceito e da discriminação racial. 
- Em 14 de outubro de 1964, Luther King recebeu o Prêmio Nobel da Paz em função de seu trabalho, combatendo pacificamente o preconceito racial nos Estados Unidos.
- Em 1967, King fez vários discursos protestando contra a participação dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã.
- Em 1968, King organizou a Campanha dos Pobres, pregando a justiça social e econômica.
- Em função de sua atuação social e política, Luther King despertou muito ódio naqueles que defendiam a segregação racial nos Estados Unidos. Durante quase toda sua vida adulta, foi constantemente ameaçado de morte por estas pessoas e grupos. 
- Na manhã de 4 de abril de 1968, antes de uma marcha, Martin Luther King foi assassinado no quarto de um hotel na cidade de Memphis. 
- Sua atuação política e sociai foi fundamental nas mudanças que ocorreram nas leis dos Estados Unidos nas décadas de 1950 e 1960. As leis segragacionistas foram caindo, dando espaço para uma legislação mais justa e igualitária. Embora sua atuação tenha sido nos Estados Unidos, Luther King é até hoje lembrado nos quatro cantos do mundo como símbolo de luta pacífica pelos direitos civis.
Frases de Luther King
·        "Um líder verdadeiro, em vez de buscar consenso, molda-o."
·        "O que mais preocupa não é o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem carácter, dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons."
·        "Quase sempre minorias criativas e dedicadas transformam o mundo num lugar melhor."
·        "Se um homem não descobriu algo por que morrer, ele não está preparado para viver."
·        "Sonho com o dia em que a justiça correrá como água e a retidão como um caudaloso rio."
·        "O ser humano deve desenvolver, para todos os seus conflitos, um método que rejeite a vingança, a agressão e a retaliação. A base para esse tipo de método é o amor.
·        "A Verdadeira paz somente não é a falta de tensão, é a presença de justiça."
·        "Nós temos que combinar a dureza da serpente com a suavidade da pomba, uma mente dura e um coração tenro."
·        "Nada no mundo é mais perigoso que a ignorância sincera e a estupidez conscienciosa."
·        "O Amor é a única força capaz de transformar um inimigo num amigo."


COMENTE

AS MAIS LIDAS:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VISITANTES RECENTES