POSTAGENS MAIS RECENTES DO BLOG

SIGA-NOS NO FACEBOOK

sexta-feira, 29 de julho de 2011

JESUS CHOROU



Jesus chorou

Sermão Jesus chorou
(Jo 11.35)
Introdução
A Bíblia diz em (Gênesis 27.38), que quando Esaú soube que seu pai Isaque, tomado de engano, havia abençoado Jacó em seu lugar, levantou a sua voz e chorou.
A Bíblia diz em (Neemias 1.3-4), que quando Neemias soube que seus irmãos estavam em miséria e desprezo, àqueles que não tinham sido levados para o cativeiro, se assentou, lamentou e chorou.
A Bíblia diz em (Salmos 137.1), que quando os Israelitas cativos na Babilônia se lembravam de Sião, choravam.
A Bíblia diz em (Mt 26.75), que quando o apóstolo Pedro lembrou-se das palavras de Jesus, que lhe dissera: Antes que o galo cante, três vezes me negarás. Pedro chorou amargamente.
A Bíblia diz em (Lc 8.52), que todos choravam na casa de Jairo, um dos principais da sinagoga pela morte de sua filha.
É fato que à semelhança dos personagens bíblicos, quem dentre nós nunca chorou, nunca derramou uma lágrima? Choramos devido ao sofrimento, angústia e dor. Choramos de arrependimento. Choramos também de felicidade, pelo filho que nasce, pela conquista de um sonho, pelo reencontro com alguém que há muito tempo não se via e que amamos. Chorar é um ato corriqueiro na vida do ser humano. Na verdade, quando nascemos, já o fazemos à base do choro. Muito choro.
Choramos também devido aos nossos pecados. Davi no (Salmo 38.18b) declara: “Afligir-me-ei por causa do meu pecado”. Do que se queixa o homem senão dos seus pecados diz a Escritura.
Desenvolvimento
Agora, o texto áureo desta mensagem (Jo 11.35), um dos menores versículos da Palavra de Deus, faz uma declaração impressionante. Ele diz que o profeta, sacerdote, rei e Messias, o Filho do homem, Filho de Davi, o Deus encarnado, o Príncipe da paz, o Cordeiro de Deus, Aquele a quem foi dada toda autoridade no céu e na terra, Aquele perante o qual todo joelho se dobrará e toda língua confessará, Jesus, chorou.
O contexto em que o texto está inserido é a morte daquele a quem Jesus amava, seu amigo de Betânia, Lázaro. O verbo “chorou” empregado nesta passagem no original grego é “dakruo”, o que indica que Jesus verdadeiramente derramou lágrimas e depois pranteou em silêncio, visto que o (verso 33) diz que quando Jesus viu Marta, irmã de Lázaro chorando e também os judeus, moveu-se muito em espírito e perturbou-se. Isso prova o amor do Deus feito homem por nós. Ele não é indiferente em relação ao nosso sofrimento. Mesmo sendo Ele a ressurreição e a vida, e tendo dito anteriormente aos seus discípulos que iria despertá-lo (verso 11), Jesus chorou.
Uma questão a ser abordada é que nossas atitudes podem fazer Jesus alegrar-se ou chorar com relação a nós. Vejamos o que pode levar Jesus a chorar com relação à nossa vida:
Incredulidade: Em (Lc 19.41), a Bíblia diz, referindo-se à entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, montado num jumentinho, em meio ao povo gritando “Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor”, que quando Jesus ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela. Acontece que os judeus aguardavam um Messias político e esse mesmo povo que gritava “Hosana”, diante de Pilatos pediria para soltar Barrabás e crucificá-Lo. A palavra chorou, nesse caso, no grego significa “eklausen”, que é mais do que derramar lágrimas, é lamentação, pranto, soluço e clamor de uma alma em agonia em ver a incredulidade e a recusa em arrepender-se por parte dos judeus. A grande recusa em massa em não aceitar a salvação, e essa recusa pela pessoa de Jesus ocorre até os dias de hoje em Israel. Eles vivem do comércio religioso, porém, são incrédulos. Tal incredulidade também está presente por toda a terra e isso faz Jesus chorar.
Relacionamento superficial com base em interesses: Em (Is 29.13), o SENHOR declara por meio do profeta Isaías: “...Pois que este povo se aproxima de mim e, com a boca e com os lábios, me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens em que foi instruído”. Não é de hoje que o povo busca fazer barganha com Deus, 700 anos antes do nascimento de Jesus, essa já era uma prática comum. Isso com certeza faz Jesus chorar.
Desobediência, Injustiça, Devassidão, Idolatria, Adultério, Homossexualismo, Sodomia, Roubo, Avareza, Bebedice, Mentira, Feitiçaria, Homicídios, Estupros, Pedofília, Ira, Inimizade, Hipocrisia, Glutonária, Contenda, Prostituição, Fornicação, Impureza e coisas semelhantes a estas: Aqui é um compêndio de três textos bíblicos que dão uma noção geral do que faz Jesus chorar, e chorar a tal ponto de que, se quem pratica esses atos não se arrependerem, o que lhes estará reservado será o inferno, e lá serão eles que chorarão, pois diz a Bíblia que o inferno é um lugar de choro e ranger de dentes. ((1 Co 6.9-10; Gl 5.20-21; Ap 21.8)
Conclusão
Devemos fazer Jesus sentir prazer como o nosso proceder e não tristeza. Se você tem derramado as lágrimas do arrependimento, se você tem rasgado o seu coração porque busca abandonar o pecado ou se o seu choro tem sido fruto de perseguições por você ser fiel a Jesus, há uma promessa de Deus pra sua vida no sermão do monte que diz: “Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados” (Mt 5.4). Se você tem chorado por ver tamanha maldade e injustiça à sua volta, há um consolo da parte de Deus pra você.
Se você está em pecado, morto em seus delitos, pode ser que esteja vivo, porém, morto espiritualmente, mas Jesus tem poder para remover a pedra e gerar vida espiritual em você novamente.
Se você está chorando e quer entregar a sua vida com sinceridade para Jesus, o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. (Sl 30.5)

terça-feira, 26 de julho de 2011

O EXEMPLO DE UMA MULHER.




Alguém disse: "Crente sem oração é igual carro zero sem gasolina, não vai a lugar algum!"
Está aí uma verdade. Se vc quer vitória em meio as lutas, a arma mais eficaz é a sincera oração a Deus.
Temos o exemplo de uma mulher cuja a batalha estava lhe tirando o apetite, o sossego e porque também não dizer a fé?! Tudo que fazia era chorar.

Por causa de sua "competidora" como a bíblia relata; Ana vivia como alguém que já havia perdido a batalha e não mais reagia de forma a mudar tal situação. Creio que só não se acomodava com a condição de ser estéril pelo fato de Penina não a deixar esquecer, fazendo com que ela se sentisse desprezada, sem valor e envergonhada.

Acredito que existe uma tendência de uma pessoa se acomodar, adaptar-se a uma condição imposta pelas circunstâncias, quando esta não lhe traz dores, sejam elas de qualquer natureza; é muito comodo. "O ser humano infelizmente é assim em sua maioria".

Ana passou anos e anos chorando, se lamuriando pelo mesmo problema.
Então temos aqui a certeza que o choro somente não adianta em nada.

Porém quando Penina entra em seu caminho, em sua vida, em sua "família", para lhe envergonhar e provocar; nos deparamos com Ana no versículo nove. E encontramos alguém disposto a vencer aquela peleja como um lutador q foi pra lona e muitos dizem.. já era! E quando menos se espera...

"Então, Ana se levantou..."


Ainda há tempo de vc se levantar. No versículo dez diz que, com a mesma amargura de alma (que certamente lhe acompanhou durante todo o seu casamento) ela ora ao senhor, Ana move o coração de Jeová e isto não se dá por conta de suas lágrimas mas, por conta de suas orações que lhe trazem certamente novas lágrimas e favor de Deus em sua vida!

Eram lágrimas de fé, lágrimas de vitória, não lágrimas de piedade de si mesma.
Samuel significa "Deus ouve"! E é certo que Ele também responde.
E agora com esta certeza ela tem seu semblante mudado. Não mais um semblante de derrotada. Porém, agora de uma vencedora.

Seja sincero, seja sincera com Deus! Diga a ele como se sente e o que deseja.
Pare de ficar sentindo "peninha de si" e encare a situação da qual você por si mesmo não tem condições de vencer. E isto não é motivo de você passar a vida se lamentando e chorando, com aparência de Ana "derrotada". Filipenses 2.13 diz que o querer, o sonhar, vem de Deus e é ele mesmo quem realiza, quem concretiza estes sonhos. Sabemos que nossas limitações se desfazem diante do poder de Deus em nossas vidas.
... porque para Deus nada é impossível (Lucas 1:37)

Quer que as cadeias sejam rompidas em sua vida ore, quer o seu "samuel"? Então ore e creia que, Deus responde às orações sinceras. Somente assim chegarás ao lugar de destinado por Deus e a oração será o que te moverá.

DEVOCIONAL

                               

“…serei contigo; não te deixarei nem te desampararei.” (Josué l.5-b).


Esta foi a promessa de Deus a Josué, logo após a morte de Moisés, quando assumiu a responsabilidade de comandar o povo na entrada da Terra Prometida.
É para nós, hoje, tão atual, quanto foi para aquele servo do Senhor, a certeza da bondade de Deus em todos os dias de nossa existência terrena. Saibamos sempre que, a despeito de problemas ou quaisquer outras coisas o amor d’Ele por nós é imutável.
Depois daquela promessa ao Seu servo, o Senhor fez-lhe algumas considerações: Mandou que ele (Josué), não temesse, que tivesse bom ânimo, que se esforçasse e, principalmente, que não deixasse de ler a Palavra, como podemos observar nos versículos 6 a 9.
Fica a lição para nós: Busquemos, com sabedoria, a direção de Deus para nossa vida; sejamos sensatos e procuremos viver segundo a vontade do Senhor. A Bíblia diz: “O homem não pode receber coisa alguma, se lhe não for dada do céu.”(João 3.27).



“Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação.” Habacuque 3:18

 

O coração transformado do profeta Habacuque se revela claramente neste versículo de seu livro. Os conflitos que o cercavam foram superados com uma certeza renovada do controle de Deus sobre todas as coisas.
E ele afirma: “…ainda que a figueira não floresça, ainda que não haja fruto na vide…”,” todavia, eu me alegrarei no Senhor”. Deus ensinou o profeta a não se focar mais nos problemas, mas em Sua graça que se manifesta ainda maior através das dificuldades. Ele tem me ensinado isso, dia após dia.
Deus quer lhe ensinar também. A melhor estratégia para atravessar um período de conflitos e tribulações é louvar e servir ao Senhor. Entregue ao Senhor os teus temores e o louve, o adore e busque nesse novo ano que se inicia servi-lo com amor. Não faça  reclamações, de murmurações, mas de serviço. E que Deus te abençoe ricamente em Cristo Jesus!







Quem Não Ajunta Espalha






Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha.” Lucas 11:23.

Gosto muito quando Jesus afirma que “quem comigo não ajunta, espalha” (Mt 12:30b)
Mais do que uma afirmação espirtual é uma questão prática. Qualquer um que já teve que participar de alguma atividade em grupo entende prontamente o conceito.
Até hoje, encontrei poucos que realmente “ajuntam”. Raro são aqueles que puxam as responsabilidades, que chamam para si as dúvidas, que buscam, respondem, resolvem. A maioria das pessoas apenas “espalha”. Passam os problemas e responsabilidades pra frente, trazem mais dúvidas do que soluções e consideram resolvidas quando “espalharam” as pendências para o colo de outrém.
“Quem não ajunta, espalha”: aqueles que não estão lá para ajudar, só atrapalham. E, na sua limitada visão, quanto mais espaço para espalhar, melhor.
Jesus é que sabia das coisas: “Quer ajuntar? Pode vir! Quer espalhar? Tchau!” E resume: ” Quem não é comigo é contra mim;” (Mt 12:30a)

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O que a biblia diz sobre a guarda do sabado?



O Que a Bíblia Diz?

No Velho Testamento, Deus ordenou aos israelitas que santificassem o dia do sábado e não trabalhassem nesse dia.  Deveriam os cristãos de hoje, também, descansar  e adorar no dia do sábado?  Muitos grupos religiosos (Adventistas do Sétimo Dia, por exemplo) ensinam que deveríamos.  O que a Bíblia diz?

Em Êxodo 20:8-11 Deus ordenou aos judeus que guardassem o dia do sábado (veja nota 1).  No Novo Testamento, vemos que as leis do Velho Testamento eram para continuar somente até a morte de Cristo.  (Nas passagens seguintes, a ênfase está acrescentada para esclarecer o sentido).

Efésios 2:14-15
"Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derrubado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu na sua carne a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse em si mesmo um novo homen, fazendo a paz."  Esta passagem mostra que Cristo aboliu a "lei dos mandamentos".  Desde que a guarda do sábado era um  destes mandamentos, e não foi incluída no Novo Testamento, não necessitamos guardar o sábado.

Romanos 7:4-7
"Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, e deste modo frutifiquemos para Deus.  Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei, operavam em nossos membros a fim de frutificarem para a morte.  Agora porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra.  Que diremos pois?  É a lei pecado?  De modo nenhum.  Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera:  Não cobiçarás."  Esta passagem claramente diz que morremos para a lei e estamos, portanto, "libertos da lei".  A lei de que Paulo falava incluía os dez mandamentos, porque no versículo 7 ele citou: "Não cobiçarás" como uma das leis. (Veja Nota 2).

2 Coríntios 3:6-11
"O qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.  E se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, se revestiu de glória, a ponto de os filhos de Israel não poderem fitar a face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, ainda que desvanecente, como não será de maior glória o ministério do Espírito?  Porque se o ministério da condenação foi glória, em muito maior proporção será glorioso o ministério da justiça.  Porquanto, na verdade, o que outrora foi glorificado, neste respeito já não resplandece, diante da atual sobreexcelente glória.  Porque, se o que se desvanecia teve sua glória, muito mais glória tem o que é permanente."  Aqui Paulo está comparando o ministério da morte e da condenação com o ministério do Espírito e da justiça.  O ministério da morte estava desaparecendo, mas o ministério do Espírito estava continuando.  Mas qual era o ministério da morte e da condenação que estava desaparecendo?  Era o ministério "gravado com letras nas pedras".  Se cremos no Novo Testamento, temos que acreditar que a revelação escrita nas pedras, no Velho Testamento (os dez mandamentos), já morreu. Esta passagem afirma isso claramente.
Gálatas 3:15-5:4
Gálatas 3:19­  "Qual, pois, a razão de ser da lei?  Foi adicionada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem se fez a promessa, e foi promulgada por meio de anjos, pela mão de um mediador."  Se a lei foi acrescentada até que Cristo veio, então o domínio da lei parou quando Cristo veio.

Gálatas 3:24-25­  "De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé.  Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio."  A lei foi nosso instrutor, para levar-nos a Cristo, mas agora que Cristo veio, "já não permanecemos subordinados ao instrutor".

Gálatas 4:1-5­  "Digo, pois, que durante o tempo em que o herdeiro é menor, em nada difere de escravo, posto que é ele senhor de tudo.  Mas está sob tutores e curadores até ao tempo predeterminado pelo pai.  Assim também nós, quando éramos menores, estávamos servilmente sujeitos aos rudimentos do mundo; vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos."  A lei foi dada para a infância do povo de Deus.  Cristo veio para nos adotar como filhos e redimir-nos da lei.

Gálatas 4:24,31­ "Estas cousas são alegóricas: porque estas mulheres são duas alianças; uma, na verdade, se refere ao monte Sinai, que gera para escravidão; esta é Hagar. . . .  E assim, irmãos, somos filhos não da escrava, e, sim, da livre."  Neste trecho, Paulo compara a lei dada no Sinai com Hagar (a mulher escrava), e a nova aliança com Sara (a esposa livre).  Ele diz claramente que somos da mulher livre e não da mulher escrava.  Portanto, estamos sob a nova aliança e não sob a aliança do Monte Sinai, que incluiu os dez mandamentos.  Por favor, estude cuidadosamente este assunto, por completo.

Gálatas 5:4­  "De Cristo vos desligastes vós que procurais justificar-vos na lei, da graça decaístes."  A conseqüência da volta para a lei é que decaímos da graça.
Hebreus 7-10
Hebreus 7:12­
  "Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei."  A lei foi mudada.

Hebreus 7:18-19­  "Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa de sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nunca aperfeiçoou cousa alguma) e, por outro lado, se introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a Deus."  A antiga aliança foi revogada.

Hebreus 8:7-13­  "Porque, se aquela primeira aliança tivesse sido sem defeito, de maneira alguma estaria sendo buscado lugar para segunda.  E, de fato, repreendendo-os, diz:  Eis aí vêm dias, diz o Senhor, e firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá, não segundo a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os conduzir até fora da terra do Egito; pois eles não continuaram na minha aliança, e eu não atentei para eles, diz o Senhor.  Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor.  Nas suas mentes imprimirei as minhas leis, também sobre os seus corações as inscreverei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.  E não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão dizendo:  Conhece ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até ao maior.  Pois, para com as suas iniqüidades usarei de misericórdia, e dos seus pecados jamais me lembrarei.  Quando ele diz Nova, torna antiquada a primeiraOra, aquilo que se torna antiquado e envelhecido, está prestes a desaparecer."  Temos uma nova aliança.  Por que voltar para a velha?

Hebreus 9:4­  "Ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso, e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro contendo o maná, a vara de Arão, que floresceu, e as tábuas da aliança."  A aliança a que ele tem se referido inclui as "tábuas da aliança": os dez mandamentos.

Colossenses 2:16-17
"Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das cousas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo."  Talvez seja este o texto mais importante de toda esta discussão, porque ele claramente menciona o dia do sábado como parte da sombra que foi substituída por Cristo. (Veja Notas 3 e 4).  O sábado não é, para nós, hoje, mais  parte do padrão de Deus do que a conservação do festival da lua nova.  Ambos foram partes da aliança do Velho Testamento, que foi substituída pela nova aliança de Cristo.

Os cristãos de hoje têm que seguir o Novo Testamento, que não ordena que qualquer dia seja completamente posto de lado como um dia de descanso, mas sim, mostra o padrão dos cristãos reunindo-se para adorar juntos nos domingos (Atos 20:7; 1 Coríntios 16:1:2).  (Veja Notas 5 e 6).

Nota 1:
O sábado era só para os judeus.

Muitas passagens mostram que o mandamento para guardar o sábado foi dado somente aos judeus.  Por exemplo:

· Êxodo 31:12-18­  "Disse mais o Senhor a Moisés:  Tu, pois, falarás aos filhos de Israel, e lhes dirás:  Certamente guardareis os meus sábados; pois é sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o Senhor, que vos santifica.  Portanto guardareis o sábado, porque é santo para vós outros:  aquele que o profanar, morrerá; pois qualquer que nele fizer alguma obra será eliminado do meio do seu povo.  Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do repouso solene, santo ao Senhor; qualquer que no dia do sábado fizer alguma obra morrerá.  Pelo que os filhos de Israel guardarão o sábado, celebrando-o por aliança perpétua nas suas gerações.  Entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre; porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, e ao sétimo dia descansou e tomou alento.  E, tendo acabado de falar com êle no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus."  Aqui ele afirmou que o sábado era entre Deus e os filhos de Israel.

· Deuteronômio 5:1-3, 12­  "Chamou Moisés a todo o Israel, e disse-lhe:  Ouvi, ó Israel, os estatutos e juízos que hoje vos falo aos ouvidos, para que os aprendais e cuideis em os cumprirdes.  O Senhor nosso Deus fez aliança conosco em Horebe.  Não foi com nossos pais que fez o Senhor esta aliança, e, sim, conosco, todos os que hoje aqui estamos vivos...Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o Senhor teu Deus."  A aliança que incluía o dia do sábado foi exclusivamente feita com os israelitas e com ninguém mais.

· Ezequiel 20:10-12­  "Tirei-os da terra do Egito e os levei para o deserto.  Dei-lhes os meus estatutos, e lhes fiz conhecer os meus juízos, os quais cumprindo-os o homem, viverá por eles.  Também lhes dei os meus sábados, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o Senhor que os santifica." Aqueles a quem a lei do sábado foi dada foram o povo de Israel, aqueles que foram resgatados do Egito.

Às vezes, os adventistas mostram que Deus descansou no sétimo dia da criação (Gênesis 2:1-3).  E daí eles deduzem que aos homens foi ordenado que  guardassem o sábado desde o tempo da criação.  Mas nenhuma passagem afirma isso.  De fato, a primeira vez que lemos sobre homens guardando o sábado, ou  um mandamento para os homens guardarem o sábado, é em Êxodo 16, depois que Moisés tinha guiado os israelitas para fora do Egito.  Gênesis 2 mostra que Deus descansou no sétimo dia, mas não ordena que os homens guardem o sétimo dia.  De fato, a Bíblia nunca ordenou aos gentios que guardassem o sábado ­ somente os judeus ­  desde o tempo de Moisés até Cristo.

Nota 2:
Há diferença entre lei moral e lei cerimonial?

O Novo Testamento mostra que os cristãos não estão mais sob a obrigação de guardar a lei do Velho Testamento.  Os adventistas e outros tentam escapar do significado destes textos, inventando a diferença entre a lei moral, que eles chamam a lei de Deus, e a lei cerimonial, que eles chamam a lei de Moisés.  Normalmente, eles ensinam que a lei cerimonial foi abolida por Cristo (assim não guardamos a Páscoa nem oferecemos sacrifícios de animais) mas a lei moral ainda está vigente.  Esta distinção não está na Bíblia.

A Bíblia usa as expressões lei do Senhor e lei de Moisés, sem fazer distinção, nos mesmos casos:

· 2 Crônicas 34:14­  "Quando se tirava o dinheiro que se havia trazido à casa do Senhor, Hilquias, o sacerdote, achou o Livro da Lei do Senhor, dada por intermédio de Moisés."

· Esdras 7:6­  "Ele era escriba versado na lei de Moisés, dada pelo Senhor Deus de Israel; e, segundo a boa mão do Senhor seu Deus, que estava sobre ele, o rei lhe concedeu tudo quanto lhe pedira."

· Neemias 8:1, 8, 14, 18­  "Em chegando o sétimo mês, e estando os filhos de Israel nas suas cidades, todo o povo se ajuntou como um só homem, na praça, diante da Porta das Águas; e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha prescrito a Israel. . . .  Leram no Livro, na lei de Deus, claramente, dando explicações, de maneira que entendessem o que se lia. . . .  Acharam escrito na lei que o Senhor ordenara, por intermédio de Moisés, que os filhos de Israel habitassem em cabanas, durante a festa do sétimo mês. . . .  Dia após dia leu Esdras do livro da lei de Deus, desde o primeiro dia até ao último; e celebraram a festa por sete dias; no oitavo dia houve uma assembléia solene, segundo o prescrito."

· Neemias 10:29­  "Firmemente aderiram a seus irmãos, seus nobres convieram numa imprecação e num juramento, de que andariam na lei de Deus, e que foi dada por intermédio de Moisés, servo de Deus; de que guardariam e cumpririam todos os mandamentos do Senhor, nosso Deus, e os seus juízos e os seus estatutos."

Em diversas ocasiões,"mandamentos cerimoniais" eram chamados de lei do Senhor:  Sacrifícios de animais, sacerdócio, dias de festas (2 Crônicas 31:3-4), a festa dos tabernáculos (Neemias 8:13-18), a consagração dos primogênitos e as oferendas para purificação depois do parto (Lucas 2:23-24).  Em outras ocasiões, as leis morais eram ditas como vindo de Moisés.  Por exemplo, o mandamento para honrar os pais (Marcos 7:10).  Para simplificar, a distinção entre a lei cerimonial  de Moisés e a lei de Deus é uma invenção da teologia adventista.  Não é encontrada na Bíblia.

Nota 3:
O dia do sábado de Colossenses 2:16 é o sábado semanal.


Algumas vezes, quando confrontados com Colossenses 2:16, que ensina que o dia do sábado foi uma parte da sombra que foi substituída por Cristo, os adventistas replicam que Colossenses 2:16 está se referindo aos "sábados anuais", e não aos "sábados semanais."  A verdade é que o termo sábado é usado na Bíblia quase exclusivamente para os sábados semanais e é a própria palavra usada pelo Senhor quando ele deu os dez mandamentos.  A única festa anual, para a qual a palavra sábado foi aplicada, é o Dia da Expiação (Levítico 16:31-32).

Olhem cuidadosamente a lista dos tipos de "sombra" em Colossenses 2:16: "comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados".  Depois de mencionar comida e bebida, ele (Paulo) também menciona festas (celebrações anuais), lua nova (celebrações mensais) e sábados (celebrações semanais).  [E, interessante, muitos adventistas tentam manter as mesmas regras do Velho Testamento sobre comida  (estude Marcos 7:19 e Atos 10:9-16)].  Repetidamente, este agrupamento anual, mensal e semanal (às vezes diário) de festas é feito na Bíblia:

· 1 Crônicas 23:30-31­  "Deviam estar presentes todas as manhãs para renderem graças ao Senhor, e o louvarem; e da mesma sorte à tarde.  E para cada oferecimento dos holocaustos do Senhor, nos sábados, nas luas novas, e nas festas fixas, perante o Senhor, segundo o número determinado."

· 2 Crônicas 2:4­  "Eis que estou para edificar a casa ao nome do Senhor meu Deus e lha consagrar, para queimar perante ele incenso aromático, e lhe apresentar o pão contínuo da proposição, e os holocaustos da manhã e da tarde, nos sábados, nas luas novas e nas festividades do Senhor nosso Deus; o que é obrigação perpétua para Israel."

· 2 Crônicas 8:13­  "E isto segundo o dever de cada dia, conforme o preceito de Moisés, nos sábados, nas luas novas e nas festas fixas, três vezes no ano:  na festa dos pães asmos, na festa das semanas e na festa dos tabernáculos."

· 2 Crônicas 31:3­  "A contribuição que fazia o rei da sua própria fazenda era destinada para os holocaustos, para os da manhã e os da tarde, e para os holocaustos dos sábados, das luas novas e das festas fixas, como está escrito na lei do Senhor."

· Neemias 10:33­  "Para os pães da proposição, e para a contínua oferta de manjares, e para o contínuo holocausto dos sábados, das luas novas, para as festas fixas, e para as cousas sagradas, e para as ofertas pelo pecado, para fazer expiação por Israel, e para toda a obra da casa do nosso Deus."

· Ezequiel 45:17­  "Estarão a cargo do príncipe os holocaustos, e as ofertas de manjares, e as libações, nas festas, nas luas novas e nos sábados, em todas as festas fixas da casa de Israel:  ele mesmo proverá a oferta pelo pecado, e a oferta de manjares, e o holocausto, e os sacrifícios pacíficos, para fazer expiação pela casa de Israel."

· Oséias 2:11­  "Farei cessar todo o seu gozo, as suas festas, as suas luas novas, os seus sábados e todas as suas solenidades."

Paulo usa o mesmo agrupamento em Colossenses 2:16.  Por que haveria alguém de torcer suas palavras para fazer com que significasse festas anuais quando ele fala de sábados?

Nota 4:
O significado espiritual do sábado


O dia do sábado era uma sombra da realidade espiritual trazida por Cristo (Colossenses 2:16-17).  O sábado significa descanso e libertação do trabalho:  Cristo trouxe o descanso e a libertação do pecado.  Jesus é o descanso para o qual a sombra do sábado apontava (Mateus 11:28-30).  Mesmo a libertação e o descanso que Jesus nos dá agora são apenas uma antecipação do descanso verdadeiro que os cristãos experimentarão no céu (Hebreus 4:9).

Nota  5:
Os primeiros cristãos adoravam no domingo


Duas passagens mostram claramente que os primeiros cristãos adoravam nos domingos:

· Atos 20:7­ "No primeiro dia da semana, estando nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo que devia seguir de viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite." Notem que este dia era um domingo.  Os adventistas argumentam que esta reunião era na noite de sábado, mas as Escrituras dizem que era no primeiro dia da semana.  Notem também que o propósito da reunião deles era partir o pão.  Nesse trecho, e referindo a outras passagens (Atos 2:42;  1 Coríntios 10:16;  11:18-34),  está claro que isto se refere à Ceia do Senhor.  Os adventistas argumentam que eles se reuniram porque Paulo partiria no dia seguinte, mas o trecho diz que eles se reuniram para partir o pão.

· 1 Coríntios 16:1-2­  "Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galácia.  No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que se não façam coletas quando eu for."  Os primeiros cristãos, aqui, contribuíam com seu dinheiro no primeiro dia da semana.  Por que seria feita a coleta no domingo, se os cristãos não se reunissem nesse dia?

Nota 6:
Respondendo a objeções


· Jesus guardou o sábado. Certamente que sim.  Jesus era um judeu nascido sob a lei (Gálatas 4:4) e portanto obedeceu a todas as leis do Velho Testamento.  Jesus foi circuncidado, ordenou a entrega de oferendas ao sacerdote, pela purificação, guardou a Páscoa, etc. (Lucas 2:21; 5:12-14; Mateus 26:18-19).  Mas quando Jesus morreu, ele inaugurou a nova aliança e revogou a velha.  Se o fato que Jesus guardou a Páscoa não prova que nós também deveríamos guardá-la, então o fato que Jesus guardou o sábado não prova que nós deveríamos guardá-lo também.

· Paulo guardou o sábado.  As Escrituras não ensinam isto.  Havia um número de ocasiões em que Paulo ensinou em sinagogas, no sábado (Atos 18:4, por exemplo).  O sábado era o dia quando as pessoas se juntavam na sinagoga e Paulo aproveitou-se dessas oportunidades para ensinar muitas pessoas.  Se eu tivesse permissão para ensinar lá, eu haveria de ir a assembléias adventistas todos os sábados.  Mas a ida de Paulo às sinagogas, para ensinar no sábado, não prova que ele guardou o sábado como um dia santo de descanso.

· Para sempre.  No Velho Testamento, o sábado era "por aliança perpétua nas suas gerações" e "entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre" (Êxodo 31:16-17).  Os adventistas argumentam que estes termos mostram que a guarda do sábado semanal nunca terminará (descansaremos no céu, também?).  Mas o verdadeiro significado de "para sempre" e "perpétua", neste trecho, é limitado por "nas suas gerações".  Estas expressões significam "duração de uma era".  Outros mandamentos do Velho Testamento foram "para sempre":  por exemplo, a Páscoa (Êxodo 12:24).  Muitos mandamentos do Velho Testamento foram "perpétuos":  a queima do incenso (Êxodo 30:21), o sacerdócio Levítico (Êxodo 40:15), as ofertas de paz (Levítico 3:17), a parte dos sacerdotes nos sacrifícios (Levítico 6:18, 22;  7:34, 36),  o sacrifício anual de animais pela expiação  dos pecados (Levítico 16:29, 31,34), etc.  Os adventistas, normalmente, não ensinam que sacrifícios de animais, queima de incenso ou a guarda da páscoa têm que ser continuados hoje;  porque, entã, deveriam eles argumentar que a guarda do sábado tem que ser continuada hoje?

· Jesus não veio para revogar a lei.  Mateus 5:17-18 diz: "Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas:  não vim para revogar; vim para cumprir.  Porque em verdade vos digo:  Até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra."  Neste trecho, Jesus está ensinando que seu propósito não era contra a lei.  Ele não veio para demolir ou destruir a lei.  De fato, Ele era o cumprimento da lei.  A lei predisse a vinda de Cristo e a nova aliança que ele haveria de trazer.  Esta passagem não está, certamente, ensinando que cada "i" ou "til" da lei  obrigaria para sempre;  nem os adventistas afirmam isso.  Mas em vez disso, que toda a lei e os profetas haveriam de desempenhar suas funções propostas, até o seu cumprimento.

· Jesus disse para orarem para que sua fuga não fosse no sábado.  Mateus 24:20 diz: "Orai para que a vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado."  Nesse trecho, Jesus estava considerando a iminente destruição de Jerusalém.  Ele deu aos seus discípulos o sinal pelo qual eles poderiam saber quando a hora de fugir houvesse chegado.  E ele os aconselhou a orar para que sua fuga não viesse em um tempo difícil.  Havia várias razões porque seria mais difícil fugir no sábado.  Normalmente, os judeus trancavam as portas da cidade no sábado, e poderiam ser impedidos em sua fuga por judeus fanáticos; o sábado dificultaria a capacidade dos cristãos para comprar os mantimentos necessários para a fuga.  Quando Jesus os avisou para que orassem para que a fuga não fosse num dia de sábado ou no inverno, ele não estava admitindo que os cristãos deveriam guardar o sábado, mais do que deveriam guardar o inverno.

· O papa mudou o sábado. Quando os argumentos da Bíblia lhes falham, os adventistas gostam de tentar provar que os primeiros cristãos guardavam o sábado, mas que esta guarda foi mais tarde mudada para o domingo, pela igreja católica.  Mesmo descontando a evidência da Bíblia, esta afirmação pode ser desmentida historicamente.  Tanto Inácio como Justino Mártir se referem aos cristãos adorando no domingo e eles escreveram no segundo século, muito antes de haver um papa ou uma igreja católica.  Mas pesquisar através de documentos históricos é desnecessário.  A Bíblia decide a questão e isso deveria ser suficiente para aqueles que têm fé em Deus.

-por Gary Fisher
3ª Edição Brasileira Publicada em 1996
Traduzida por Arthur Nogueira Campos
Direitos Reservados

PALAVRAS CRUZADAS BIBLICAS

Palavras Cruzadas 
Oferecemos algumas palavras cruzadas para incentivar o estudo da Bíblia, enfatizando textos, assuntos e temas específicos. As respostas vêm da Bíblia Almeida Revista e Atualizada, 2ª Edição. Há duas versões de cada cruzadinha: (1) A versão interativa, que pode ser respondida no computador (on-line), e (2) A versão impressa, que pode ser impressa e respondida no papel. Em ambos os casos, terá a opção de ver as respostas certas.
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Devido às limitações do software usado para fazer as cruzadinhas, algumas instruções aparecem em inglês. Não se preocupe. Segue abaixo uma explicação em português das mensagens em inglês.
Palavras usadas várias vezes:
Across = Horizontal
Down = Vertical
Word = Palavra
Letter(s) = Letra(s)
Crossword Puzzle = Palavras Cruzadas
Error = Erro
Incomplete = Incompleta(s)
Check = Verificar/Corrigir
O bloco que começa "This interactive crossword puzzle" explica os requerimentos básicos do seu computador para fazer as palavras cruzadas no computador:
Para fazer as palavras cruzadas no computador (on-line), seu computador precisa ter JavaScript e um navegador relativamente recente, como Internet Explorer 5.5 ou posterior, Netscape 7, Mozilla, Firefox ou Safari. Para responder "on-line", pode ser necessário permitir seu computador executar scripts ou controles ActiveX. Se não conseguir abrir e usar esta versão das palavras cruzadas, sugerimos a outra versão, que pode ser impressa e respondida no papel.
Welcome! Click a word in the puzzle to get started. = Seja bem-vindo(a)! Clique em qualquer palavra na cruzadinha para começar.
Quando você clica numa palavra, a dica vai aparecer, e você verá mais uma orientação em inglês, como "Across, 7 letters" (Horizontal, 7 letras) ou Down, 5 letters (Vertical, 5 letras), seguida pela dica. Terá uma lacuna onde pode digitar a sua resposta. Se não achar a resposta (não esqueça de procurar na Bíblia!), pode escolher outra palavra e voltar para essa mais tarde.
A qualquer momento, você pode escolher a opção "Check Puzzle" para verificar suas respostas. Aparecerá uma mensagem deste tipo:
1 error and 13 incomplete words were found = 1 erro e 13 palavras incompletas foram encontrados. Os erros serão destacados em vermelho.
Para continuar respondendo, clique em qualquer palavra errada ou em branco na cruzadinha.
Quando responder corretamente a todas as dicas e clicar em "Check Puzzle", aparecerá uma outra mensagem que começa: "Congratulations! You have completed...." Esta mensagem significa "Parabéns! Você respondeu corretamente às palavras cruzadas." (O resto desta mensagem é propaganda para o programa usado)
PALAVRAS CRUZADAS
INTERATIVAS
:
(Para responder no seu computador)
Ezequiel 1-3  
Ezequiel 4-7  

1 Timóteo 1
1 Timóteo 2
1 Timóteo 3  
1 Timóteo 4
1 Timóteo 5  
1 Timóteo 6

Hebreus 1
Hebreus 2
Hebreus 3
Hebreus 4
Hebreus 5 
Hebreus 6  
Hebreus 7  
Hebreus 8 
Hebreus 9  
Hebreus10  
Hebreus11
Hebreus12 
Hebreus13

Salmos 1 a 6  
Salmos 7 a 14 
Salmos 15 a 18 
Salmos 19 a 23
Salmos 24 a 28 
Salmos 29 a 33
Salmos 34 a 37  
Salmos 38 a 41
Salmos 42 a 49  
Salmos 50 a 57  
Salmos 58 a 67 
Salmos 68 a 72
Salmos 73 a 77  
Salmos 78 a 82  
Salmos 83 a 89  
Salmos 90 a 96
Salmos 97 a 103  
Salmos 104 a 106
Salmos 107 a 111 
Salmos 112  a 118  
Salmos 119  
Salmos 120 a 129
Salmos 130 a 137  
Salmos 138 a 144 
Salmos 145 a 150  

O Livro de Hebreus  
Casamento e Família 1
As Sete Trombetas (Apocalipse 8 e 9) 

 

PALAVRAS CRUZADAS
PARA IMPRIMIR
:
(Para responder no papel)

Ezequiel 1-3 (respostas)
Ezequiel 4-7 (respostas

1 Timóteo 1 (respostas
1 Timóteo 2 (respostas
1 Timóteo 3 (respostas)
1 Timóteo 4 (respostas)
1 Timóteo 5 (respostas
1 Timóteo 6 (respostas)

Hebreus 1 (respostas)
Hebreus 2 (respostas)
Hebreus 3 (respostas)
Hebreus 4 (respostas)
Hebreus 5 (respostas)
Hebreus 6 (respostas)
Hebreus 7 (respostas
Hebreus 8 (respostas
Hebreus 9 (respostas)
Hebreus 10 (respostas)
Hebreus 11 (respostas)
Hebreus 12 (respostas)
Hebreus 13 (respostas)

Salmos 1 a 6  (respostas)  
Salmos 7 a 14  (respostas
Salmos 15 a 18 (respostas)  
Salmos 19 a 23 (respostas
Salmos 24 a 28 (respostas)  
Salmos 29 a 33 (respostas
Salmos 34 a 37 (respostas) 
Salmos 38 a 41 (respostas)
Salmos 42 a 49 (respostas) 
Salmos 50 a 57 (respostas) 
Salmos 58 a 67 (respostas)  
Salmos 68 a 72 (respostas) 
Salmos 73 a 77 (respostas)  
Salmos 78 a 82 (respostas) 
Salmos 83 a 89 (respostas)  
Salmos 90 a 96 (respostas) 
Salmos 97 a 103 (respostas)  
Salmos 104 a 106 (respostas)   
Salmos 107 a 111 (respostas)  
Salmos 112 a 118 (respostas) 
Salmos 119 (respostas)
Salmos 120 a 129 (respostas)
Salmos 130 a 137 (respostas)
Salmos 138 a 144 (respostas)
Salmos 145 a 150 (respostas)

O Livro de Hebreus (respostas)  
Casamento e Família 1  (respostas
As Sete Trombetas (Apocalipse 8 e 9)  (respostas)
 

VISITE ESTE SITE. VOCÊ VAI GOSTAR!  

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net

quarta-feira, 6 de julho de 2011

A COMPANHEIRA DE CAIM.

A Bíblia não menciona quem foi a companheira de Caim. Entendo a sua curiosidade. Certamente você quer saber o seguinte: - Se depois da morte de Abel só ficou CAIM, com quem este teria se casado? Como a humanidade se multiplicou?
Adão viveu novecentos e trinta anos (Gn 5.5). Muitos outros filhos gerou. O filho de nome "Sete" foi gerado quando Adão tinha cento e trinta anos. Sete gerou muitos filhos e filhas. A Bíblia só menciona os nomes dos homens. Portanto, ao tempo em que viviam Caim e Abel, já existiam muitos filhos, homens e mulheres. Deus permitiu no início que houvesse casamento entre parentes próximos (entre irmãos, entre tios, sobrinhos, etc). Não havia outro meio de multiplicar a espécie. A Teoria da Evolução da Espécie diz, todavia, que o ancestral do homem foi o macaco, e o da mulher, uma macaca. Tal tese se contrapõe à teoria bíblica da Criação. Deus criou primeiramente os animais; depois criou o homem. Se Deus quisesse que os homens fossem produto de uma evolução, teria criado apenas os animais. A partir destes, os homens surgiriam normalmente.
Autor:  Pr. Airton Evangelista da Costa

EFEITO INESPERADO

      Em 1981, uma loja fez a seguinte propaganda especial: “Compre uma das nossas canecas por R$ 10,89 e você poderá  enchê-la de café por vinte centavos todas vez que nos visitar” Mas os proprietários nunca esperavam que, 25 anos mais tarde, quatro dos seus clientes habituais ainda visitavam a loja diariamente por tomar café por vinte centavos.
          Já não se encontram muitas ofertas como essa. Mas Jesus ofereceu algo muito maior para a mulher no poço de Jacó (Jo 4.10). Ele disse: “Quem beber desta água terá sede outra vez mas... a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna”(v. 13 e 14).
      A mulher no poço estava pronta para ouvir. Apesar de muitos relacionamentos nenhum havia preenchido seu vazio. Então Jesus lhe ofereceu “água” que iria aliviar a sua vida árida e dar-lhe algo mais – a promessa da salvação e vida eterna.Essa promessa vale para todos nós. Jesus disse: “O ladrão vem apenas para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham plenamente”(Jo 10.10).
          A graça e o amor de Deus vêm de um reservatório sem fundo. Beba da água que Ele oferece e você nunca mais terá sede. 

Fonte: Nosso andar diário

Dez razões para freqüentar a Escola Dominical

 

 

Dez razões para frequentar a Escola Dominical

1. Porque você tem necessidade do genuíno e sadio alimento espiritual que só pode ser obtido pelo estudo claro, metódico, continuado e progressivo da palavra de Deus, ensinando na Escola Dominical;
2. Porque você cresce e desenvolve-se através do estudo da palavra de Deus;
3. Porque você cumpre os objetivos da Igreja do Senhor, pois os objetivos da Escola Dominical são os mesmos da Igreja;
4. Porque você adquire qualidade bíblica e espiritual permanente, pois é a Escola Dominical que determina a qualidade e o nível espiritual da igreja local, e não os outros departamentos como a união de mocidade e de mulheres, por mais excelentes que eles sejam;
5. Porque você (seja adulto, jovem, adolescente ou criança) adquire uma fé mais robusta e madura e, assim, estará pronto e mais apto para desempenhar as atividades da Obra de Deus;
6. Porque você desenvolve a sua espiritualidade e o seu caráter cristão;
7. Porque você aprende e realiza a evangelização na Escola Dominical e através dela; além disso, aprende a amar e a cooperar com a obra missionária;
8. Porque você tem oportunidades ilimitadas para servir ao Senhor, pois a Escola Dominical é o lugar da descoberta, movimentação e treinamento de novos talentos;
9. Porque você se reúne com a sua família, fortalecendo o relacionamento entre pais e filhos, as crianças crescem na disciplina do Senhor; e os casais aperfeiçoam a vida conjugal;
10. Porque a sua vida espiritual é avivada, pois a Escola Dominical é uma fonte de avivamento, porque onde a Palavra de Deus é ensinada e praticada e o avivamento acontece.

terça-feira, 5 de julho de 2011

A EXPERIÊNCIA PENTECOSTAL DE DANIEL BERG.



Daniel Berg, outro pioneiro da obra pentecostal no Brasil, nasceu no dia 19 de abril de 1884, na cidade de Vargon, na Suécia. Em 1889, converteu-se na Igreja Batista sueca e foi batizado nas águas. Em 25 de março de 1902, Berg desembarcou em Boston a procura de novas oportunidades de emprego. Quando estava em Boston, soube que um de seus amigos de infancia, L. Pethrus, recebera o batismo com o Espírito Santo e com fogo. A convite de sua mãe, Berg viajou até a Suécia para encontrar-se com Pethrus. Depois do encontro, ao regressar aos Estados Unidos, em 1909, Daniel Berg orou insistentemente a Deus pedindo o batismo com o Espírito Santo. Antes de chegar ao seu destino, Deus ouviu a oração batizando-o com o Espírito Santo. Nesse mesmo ano, encontrou-se com Gunnar Vingren. Os dois conversaram muito tempo a respeito da convicção que tinham no batismo com o Espírito Santo, nas Sagradas Escrituras e na chamada missionária. Os dois missionários não tinham qualquer dúvida de que Deus os havia unido para um propósito específico. Foi assim, que após quatorze dias de viagem, no dia 19 de novembro de 1910, Daniel Berg e Gunnar Vingren aportaram em Belém, Pará. Em 1911, a irmã Celina de Albuquerque recebe o batismo com o Espírito Santo, seguida da irmã Nazaré que ao ser batizada, cantou um hino espiritual. No dia 18 de junho de 1911, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus é fundada.

O REINO DE DEUS...

O QUE O REINO DE DEUS SIGNIFICA
1. Justiça. A expressão justiça de Deus tem confundido muitos teólogos há séculos. A justiça de Deus é o modo de Deus agir. Amor é a natureza de Deus, santidade é a disposição de Deus e glória é o próprio ser de Deus. Justiça, no entanto, é o proceder de Deus, Sua maneira e Seu método. Uma vez que Deus é justo, Ele não pode amar o homem meramente conforme o Seu amor. Ele não pode conceder graça ao homem meramente conforme Ele quer. Ele não pode salvar o homem meramente conforme o desejo do Seu coração. É verdade que Deus salva o homem porque o ama. Mas Ele deve fazê-lo de um modo que esteja de acordo com Sua justiça, Seu proceder, Seu padrão moral, Sua maneira, Seu método, Sua dignidade e Sua majestade. John Stott escreve sobre “A Revelação da Justiça de Deus’, baseado em Romanos 3: “Os versículos 21-26 constituem um bloco firmemente compactado, que o professor Cranfield acertadamente chama de "o centro e o cerne" do todo que constitui a parte principal da carta; á o Dr. Leon Morris diz que eles seriam "possivelmente o parágrafo mais importante que jamais se escreveu". A sua expressão-chave é "a justiça de Deus", expressão já considerada por nós quando ela ocorreu a primeira vez, em 1.17. Aqui, em 3.21, a tradução da NVI refere-se a uma justiça que provém de Deus, frisando dessa maneira a iniciativa salvadora que ele tomou a fim de conceder aos pecadores a condição de justos aos seus olhos. Os dois versículos (1.17 e 3.21) dizem que essa justiça foi "revelada" ou "manifestada". Os dois a apresentam como algo inovador, ao dizerem que ela se dá a conhecer ou "no evangelho" (1.17) ou independente da lei (3.21). Ambos, no entanto, a representam como um cumprimento das escrituras do Antigo Testamento, o que demonstra que não se trata de uma elaboração posterior da parte de Deus. E dos dois afirma que podemos ter acesso a ela pela fé. A única diferença significativa entre estes dois textos está no tempo em que são usados os verbos principais. De acordo com 3.21, uma justiça de Deus se manifestou, no pretérito perfeito, uma provável referência à morte histórica de Cristo e suas conseqüências, válidas até hoje, enquanto que em 1.17 a justiça de Deus é revelada (tempo presente) no evangelho, o que deve significar toda vez que ele é pregado. No versículo 22 Paulo volta a anunciar o evangelho, repetindo a expressão justiça de Deus, e agora acrescenta mais duas verdades a seu respeito. A primeira é que ela vem mediante a fé em Jesus Cristo para todos os que crêem. Além disso, ela é oferecida para todos porque todos têm necessidade dela. Não há distinção entre judeus e gentios nesse aspecto (conforme Paulo vem argumentando nos versículos 1.18 - 3.20) ou entre qualquer outro grupo humano, pois todos pecaram (hemarton - o passado cumulativo de todo mundo é resumido aqui pelo uso do tempo aoristo) e estão destituídos (um presente contínuo) da glória de Deus (230. Essa "glória" (doxa) de Deus poderia significar Sua aprovação ou louvor, que todos perderam; o mais provável, porém, é que seja uma referência à imagem ou glória de Deus, segundo a qual todos nós fomos criados as deixamos de viver de conformidade com ela. É claro que o pecado pode manifestar-se em diferentes níveis e dimensões; mas ainda assim ninguém chega sequer a aproximar-se dos padrões de Deus. Handley Moule expressa isso de maneira dramática: "A prostituta, o mentiroso e o assassino estão destituídos dela [da glória de Deus]; mas você também está. Pode ser que eles estejam no fundo de uma mina e você no cume da montanha; no entanto, tem tanta capacidade quanto eles de encostar nas estrelas. A segunda inovação contida nestes versículos é que agora, pela primeira vez, "uma justiça que provém de Deus" é identificada com a justificação: sendo justificados gratuitamente por sua graça...(24a). A justiça de (ou que provém de) Deus é uma combinação de três elementos: o caráter justo de Deus, a Sua iniciativa salvadora e a Sua dádiva, que consiste em conferir ao pecador a condição de justo perante Ele. Trata-se de Sua justificação justa do injusto, a maneira justa como Ele "justifica o injusto". Justificação é um termo legal ou jurídico, extraído da linguagem forense. O contrário de justificação é condenação. Os dois são pronunciamentos de um juiz. Dentro do contexto cristão eles são os veredictos escatológicos alternativos que Deus, como juiz, poderá anunciar no dia do juízo. Portanto, quando Deus justifica os pecadores hoje, está antecipando o Seu próprio julgamento final, trazendo até o presente o que de fato faz parte dos "últimos dias" [6].
2. Paz. A Paz do Senhor é a resposta imediata à oração por causa da ansiedade. As preocupações nos rodeiam, o medo é companheiro cotidiano, e a ansiedade toma conta de nós. Mas, como filhos do Pai das luzes e templo do Espírito Santo, temos um meio para escaparmos ilesos dessas mazelas que assolam o mundo: a perfeita paz de Deus que não espera por momentos perfeitos e certinhos para fazer morada em nosso coração.Coisas que não podem ser totalmente compreendidas podem, todavia, ser experimentadas em paz por aqueles que estão em Cristo - “Não andeis ansiosos de cousa alguma”.
3. Alegria. Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo” (Rm 14.17). Segundo João, em Apocalipse 19.6-7, o Reino de Deus é regozijo, alegria e tempo para louvor da Sua glória! Está relacionada com o Fruto do Espírito (que é o caráter de Cristo): Todo discípulo de Jesus recebeu o Poder para ser feito filho de Deus, e este Poder é o Espírito Santo que habita nele e manifesta o Fruto do Espírito que é: Amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, mansidão, fidelidade e domínio próprio. Em que cada situação que passamos no nosso dia a dia, podemos exercitar todas as qualidades do caráter de Cristo nas nossas vidas - “Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo; pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando. Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus” (1Pe 4.12-14).

COMENTE

AS MAIS LIDAS:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VISITANTES RECENTES