POSTAGENS MAIS RECENTES DO BLOG

SIGA-NOS NO FACEBOOK

sábado, 31 de março de 2012

PÓ DA TERRA


E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.


Gênesis 2:7


Dois ou três rapazes, numa visita a um museu nacional, leram ao lado de um dos armários, estas palavras: "O corpo de um homem; peso: 70kg". 

– Onde está o homem? - perguntou um dos rapazes. 

Ninguém lhe respondeu. No armário, havia jarras de água e outros jarros contendo fosfato de cálcio, carbonato de cálcio, potássio, sódio e outros elementos químicos. O compartimento ao lado continha galões cheios de gases, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio. Estes elementos foram medidos em proporções exatamente iguais às do corpo humano. 

Depois de pensar sobre isto por algum tempo, o rapaz obser­vou: "Então sou feito disto, sou somente isto, não há mais nada?" 

– Mais nada! - concordou um estranho que sorriu e saiu. 

Mas o jovem ficou pensativo e seu companheiro lhe disse: 

— Se somos formados somente de um tanto de cálcio, outro tanto de gases, outro de água, etc., deveríamos ser todos iguais. Deve haver alguma coisa mais, que não se possa guardar em armários.

– Sim! - afirmou o outro - há o que Deus coloca nesta matéria, o que nos torna uma alma vivente.

QUEM É O SEU PAI?


Add caption


Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus
(1 João 3:10).


Aqui a Bíblia divide a humanidade em dois grupos: os filhos de Deus e os filhos do diabo. Somente os que “nasceram de Deus” (João 1:13) pela fé no Senhor Jesus pertencem à família de Deus. E tal distinção, ainda que pareça dura para nós, é feita pela Bíblia, ou seja, pela Palavra de Deus.

Muitos se chocam por causa dessa afirmação e censuram os que crêem argumentando que tal separação é uma injustiça. Até citam as palavras do Senhor em Mateus 7:1: “Não julgueis, para que não sejais julgados”. Porém, no contexto de Mateus, o Senhor está falando sobre não julgar os motivos do próximo, e da nossa prontidão para criticar os outros e suspeitar de tudo.

O versículo de hoje trata dos que pertencem ou não à família de Deus. Como um filho de Deus poderia amar seus irmãos e irmãs se não fosse capaz de saber quem são ou se não houvesse uma clara diferença entre eles e o restante? Há características patentes que marcam os filhos de Deus: a justiça e o amor fraternal.

O novo nascimento, pelo qual uma pessoa se torna filho de Deus e acompanhado de uma conversão genuína e de uma fé sem fingimento, é um processo espiritual que escapa à nossa compreensão. O Senhor disse: “O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito” (João 3:8). O desejo de Deus é que “todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade” (1 Timóteo 2:4), em outras palavras, que todos se tornem Seus filhos, e para isso Ele enviou o Senhor Jesus. Mas essa é uma decisão que cabe a cada um de nós!

Tendo em vista a mensagem de hoje, quem é o seu pai, querido leitor?

JEJUM DE JOÃO BATISTA



 “A tua justiça irá adiante de ti” Is. 58:8
Que o nosso testemunho e influência do sal do Senhor em nossas vidas sejam alcançados diante das pessoas.
Texto: Lc. 1:15
João Batista tinha um jejum como estilo de vida pois era nazireu, não bebia nada que viesse da uva. Isso o caracterizava como alguém separado pelo Senhor para uma missão especial.

Atitudes:
Ø      Faça do seu jejum uma proclamação de sua separação para Deus.
Ø      Decida ser alguém que possui uma vida devotada a Deus.
Ø      Trabalhe com a possibilidade de fazer do jejum um estilo de vida.
Ø     Registre por escrito o testemunho que você desejar obter. O alvo do jejum de João Batista é tornar-se uma luz resplandecendo nas trevas.
Ø      Submeta seu estilo de vida a Jesus.

sexta-feira, 30 de março de 2012

O QUE É O AMOR?





Já foi dito que o Amor é a recompensa do próprio Amor.
Amar é diferente de apaixonar-se. Quando nos apaixonamos, 

ficamos obcecados,perturbados. Queimamos por dentro, 
acreditando falsamente que o fato de possuirmos a pessoa
pela qual nos apaixonamos nos trará a completa felicidade,
resolverá todos os nossos problemas e nos colocará num 
mundo de infindável satisfação.
No entanto, mesmo se gozarmos de alguns momentos em 
que tudo isso está presente, eles passam rapidamente, 
pois é próprio do fogo devastar completamente o terreno que ele ataca.
Amar, ao contrário, nos amplia, nos engrandece. 
O Amor é também um fogo, mas um tipo de fogo suave, acalentador, 
produtivo. É um fogo que constrói, que comunica, que dissolve as 
paredes do nosso egocentrismo crônico, incorporando muitas
qualidades ao campo do nosso sentimento.
A grande recompensa por Amar é justamente poder sentir Amor.

O Amor não é como, por exemplo, uma mesa, um objeto que tem 
sempre a mesma forma. O Amor é mais parecido, digamos, 
com uma planta, que é um jato de vida.
Primeiramente o Amor é uma semente, depois, aventura-se 
como broto que se desenvolve pouco a pouco e que, de 
forma prudente, mas corajosa, busca caminhos e contornos. 
Nisso, ele produz flores e frutos, abriga pessoas, 
concede a sombra, alimenta, encanta e embeleza.
O Amor tem possibilidades infinitas. Florescer é a lei que o comanda. 
Se ele se estagna, endurece, esclerosa e morre, é porque virou hábito, rotina adormecida.

Amar é, portanto, surpreendente, porque o Amor está sempre se reinventando.
“O Amor tem possibilidades infinitas e pode estar sempre se reinventando”.

quinta-feira, 29 de março de 2012

AQUELE QUE VOCÊ ALIMENTA




Curta e sábia!


Uma noite, um velho índio falou ao seu neto sobre o combate que acontece dentro das pessoas. Ele disse: – Há uma batalha entre dois lobos que vivem dentro de todos nós. Um é Mau – É a raiva, o ódio, a inveja, o ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, vaidade, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, orgulho falso, superioridade e ego.


O outro é Bom – É a alegria, fraternidade, paz, a amizade, o Amor, solidariedade, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé. O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô: – Qual lobo vence? O velho índio respondeu: –


“Aquele que você alimenta!

quarta-feira, 28 de março de 2012

POR QUE MARCAMOS TEMPO?

Perguntar não ofende não é?

Você já viu relógio nas lojas e nas praças dos shoppings? (Não estou falando dos que estão a venda nas vitrines), já parou para pensar porque eles NÃO estão lá?


Só existe uma explicação: - É para que  ninguem tenha pressa em sair daquele recinto! Por isso os consumidores passam horas dentro destes estabelecimentos e muitas vezes sem ter sequer $1.00 no bolso para comprar um sorvete;


E Por que temos relógio em nossos templos?



Será que não seria melhor retirar os relogios de nossos templos?

terça-feira, 27 de março de 2012

OFERTA DA VIÚVA


Oferta da Viúva Pobre
 Texto Bíblico: Lucas 21:1-4
(1) Jesus estava no pátio do Templo, olhando o que estava acontecendo, e viu os ricos pondo dinheiro na caixa das ofertas. (2) Viu também uma viúva pobre, que pôs ali duas moedinhas de pouco valor. (3) Então ele disse: —Eu afirmo a vocês que esta viúva pobre deu mais do que todos. (4)Porque os outros deram do que estava sobrando. Porém ela, que é tão pobre, deu tudo o que tinha para viver.



DEIXAI VIR A MIM OS PEQUENINOS


DEIXAI VIR A MIM OS PEQUENINOS!

Deve-se, passo a passo, com muito amor e paciência, transmitir às crianças a noção de REVERÊNCIA e RESPEITO ao Criador, pois assim sendo, teremos amanhã quando crescerem, homens e mulheres que através desse princípio, não só dignificarão as suas próprias vidas, como também a de seus semelhantes, simplesmente pelo fato de que, quando foram crianças tiveram um bom alicerce. Não é à toa que, quando alguém ouve um noticiário sobre violência e desordem, uma das primeiras coisas que muitos noticiaristas dizem é: “Isso é falta de temor a Deus.” O problema é que eles não explicam ao público é que antes de ser falta de temor a Deus, não houve um preparo dado às crianças pelos próprios pais, que em vez de ensinarem a sagrada reverência e o temor ao Criador, preferiram dar um revolver ou metralhadora de brinquedo, ou deixar que filmes propagadores da violência, impróprios às crianças as influenciassem. Realmente, está faltando temor nos homens, mas, a omissão por não prover uma instrução digna para uma criança é a causa de tudo isso. Muitas vezes os adultos refletem nas crianças suas próprias frustrações e as projetam para a mesmice da claudicação de suas vidas. Muitos pais culpam os filhos pelos erros de sua juventude, porém, em alguns casos, os pais devem se culpar a si mesmos, e saberem que existe uma possibilidade de ter sido eles os responsáveis pelo fracasso moral e espiritual de seus filhos, porque não souberam dignamente educá-los e dar o amor isento de suas próprias vaidades.


CURIOSIDADES - LEIA


CURIOSIDADE:

Qual a diferença entre jumento, mula, burro, jegue e asno?


Jumento, asno e jegue, são nomes regionais diferentes dados para exatamente o mesmo animal: o Equus asinus, uma espécie de "parente" do cavalo. O jumento é famoso por sua grande resistência e pode ser encontrado em praticamente todo o planeta, exceto em regiões mais frias. Desde o início das civilizações, ele vem sendo usado como animal de carga, sela e tração, sendo muito útil para trabalhos pesados no campo. Em média, tem 1,30 metro de altura e chega a pesar 400 quilos. Mula e burro, por sua vez, são um outro animal, formado a partir do cruzamento entre um jumento e uma égua. Quando o filhote desse acasalamento é uma fêmea, ela é chamada de mula; quando nasce um macho, ele é popularmente chamado de burro. Independentemente do sexo, esse animal é fisicamente mais parecido com a mãe, ou seja, uma égua, mas consegue herdar do jumento a força e a resistência. Graças a seu formidável equilíbrio, a mula (ou burro) consegue andar por caminhos íngremes nas montanhas, sendo muito útil como animal de carga. "Os burros e as mulas têm como característica principal a forte ‘personalidade’. São animais que exigem muita perseverança e um trabalho específico para serem domados", afirma o veterinário Alexandre Gobesso, da Universidade de São Paulo (USP).

E A JUMENTA FALOU! BALAÃO E BALAQUE


A Bíblia diz que nos últimos dias surgirão falsos profetas - homens que estarão trazendo uma mensagem mentirosa, para, se possível, enganar os próprios eleitos. Professor, cuidado! Como  Balaão existem muitos por aí. Para responder a essas falsas profecias você precisa, em primeiro lugar, conhecer bem a Palavra de Deus, manter sempre comunhão com Ele e com sua igreja. Veja o conselho de Paulo: "Habite, ricamente, em vós a Palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda sabedoria" (Cl 3:16).

Ler: Números 22: 21-35


Versículo para DECORAR: "Todo ser que respira louve ao Senhor". (Sl 150.6)

APLICAÇÃO: Ensinar que nõ devemos falar palavras más contra as pessoas. 

Certa vez, há muitos anos atrás, viveu um profeta de Deus, chamado Balaão. Naquela época, não existia a Bíblia para que Deus pudesse falar com Seu povo, pois a Bíblia é a Palavra de Deus. Então.Deus usava um profeta, um homem com quem Ele falava, e que, depois transmitia a mensagem às pessoas.
Nas terras em que vivia Balaão, havia um homem muito rico chamado Balaque, que chefiava um grande poso. Um dia, Balaque mandou alguns homens chamarem Balaão, para que amaldiçoasse o povo de Deus, pois Balaque sabia que o que o profeta de Deus falasse aconteceria.
Se ele falasse palavras boas e amigas, aquele poço seria feliz e venceria todas as guerras e dificuldades. Mas, se ele maldiçoasse, ou seja, falasse palavras más, o povo perderia todas as guerras e seria infeliz.
Primeiro, Balaque mandou que os homens oferecessem muito dinheiro para que Balaão amaldiçoasse o povo de Deus. Balaão não concordou, mas Balaque continuou insistindo, até que Balaão foi ao seu encontro. Ele foi encontrar-se com Balaque, montado em sua jumenta, que é um animal parecido com o cavalo. Durante a viagem, a jumenta empacou, isto é, ficou parada e não saía do lugar, Balaão bateu muito na jumenta e ela desviou o caminho. Continuou a viagem e novamente a jumenta empacou. Balaão novamente bateu, bateu nela, e ela mudou de caminho. Porém, numa parte da estrada em que não havia para onde desviar, a jumenta tornou a empacar. Sabem por que a jumenta empacava? É que ela estava enxergando na sua frente um anjo com uma espada na mão. Se prosseguisse a viagem, o anjo os matéria, porém, Balaão não via o anjo, e bateu outra vez na jumenta. Então, Deus abriu a boca da jumenta para que ela pudesse falar, e ela disse: “ que eu fiz prá você, para você me bater três vezes?”
Balaão respondeu à jumenta: “ Você está zombando de mim, queria eu ter uma espada na mão que lhe mataria, agora”.
E novamente a jumenta falou: “ Por acaso não sou a sua jumenta? Em que você monta desde que era moço? Alguma vez eu lhe fiz isso? Alguma vez eu empaquei?”
E Balaão respondeu: “ Não, você até hoje nunca empacou!”
Então, Deus abriu os olhos de Balaão e fez com que ele visse o anjo que estava na sua frente, com uma espada na mão.
Balaão se ajoelhou como rosto em terra, diante do anjo do Senhor, e o anjo lhe disse: “Por três vezes você espancou sua jumenta, sem motivos, pois ela me via e você não, se ela não tivesse desviado, eu o teria matado, ela salvou-lhe a vida”.
Balaão respondeu: “ Pequei Senhor, me perdoa. Vou voltar a minha casa, não mais ireri encontrar-me com Balaque”.
O anjo mandou que Balaão fosse encontrar-se Balaque , mas que só fizesse o que Deus ordenasse. Balaão  foi e, ao invés de maldição, enviou ainda mais bênçãos ao povo de Deus.

O que Balaque queria que Balaão fizesse era falar palavras más contra o povo de Deus. Nós nunca devemos desejar o mal para as pessoas nem xingar os outros, pelo contrário, desejar sempre o bem e orar por aqueles que conhecemos e que estão sofrendo.

(Fonte: Editora Cristã Evangélica) - Quando os animais aparecem 

NOSSO LAR



Meu lar está destruído, o que fazer?
Amados,
Nós sabemos pela Palavra de Deus, que o diabo veio para roubar, matar e destruir, e por milhares de anos ele tem trabalhado incansavelmente nesta tarefa, e tem alcançado um número assustador, destruindo lares e pessoas.

Mas Jesus disse: Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância (João 10.10). Esta vida em abundância, é uma vida plena, completa, exatamente como Deus planejou no princípio. 

O plano de Deus para a família sempre foi perfeito. “O homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher e serão os dois uma só carne”. O papel do homem seria o de ser sacerdote, aquele que ama, cuida e instrui a família na presença de Deus. E o da mulher de ser uma auxiliar, ajudadora e idônea ao lado do seu marido, e os filhos por sua vez, serem benção na vida dos pais.

Às vezes nós queremos educar nossos filhos, implantar atitudes corretas, condutas que nós não temos. Queremos que os filhos sejam religiosos, quando nós não somos. Que os filhos sejam obedientes quando nós não somos. Por exemplo: Um pai que fuma, vive dizendo para o filho que não deve fumar pois é prejudicial a saúde, mas as palavras não tem valor diante da atitude deste pai que fala mas não pratica.
Há pais que insistem que os filhos sejam participativos na igreja, porque é bom ter uma religião, mas eles mesmos não são praticantes desta exigência. 

Valores distorcidos = Famílias distorcidas/destruídas.

O que fazer?
Será que há uma solução?
Será que não é tarde para tentar mudar tudo isso e ser uma família abençoada?

Sim, há uma solução e esta solução está em JESUS. Tudo o que precisamos está em Jesus. E quando falamos que tudo o que precisamos está em Jesus, não significa apenas que quando eu tenha uma necessidade, eu corra aos pés de Deus, e Ele automaticamente tem que me abençoar. Não! Ele abençoa e quer abençoar, quer transformar, foi pra isso que Jesus morreu na cruz, pagando nossa dívida de pecados, e nos dando o direito da vida abundante aqui na terra e eterna no céu.

Atitudes simples como esta: CRER que Deus é suficiente para transformar tua vida, e tua família, e a atitude de CRER E RECEBER a Cristo em sua vida, fará toda a diferença.

Talvez vc diga: mas eu creio em Deus! Qualquer pessoa pode dizer isso. Mas não consiste apenas em crer somente e sim entregar-se a Ele completamente para que Ele seja quem vai cuidar e mudar a tua vida. E Junto a esta atitude de fé, outras atitudes no seu dia a dia em sua casa, com sua família, com seu esposo, esposa e filhos, vc verá a transformação completa da sua casa.
Um simples bom dia ao amanhecer, soa tão bem ao ouvido dos filhos. Ao contrário de acordar os filhos com gritos e ponta pés, um sorriso, um bom dia, um abraço, faz toda a diferença.
Um simples desejo de saber o que seus filhos estão aprendendo na escola, olhar os cadernos, elogiar seus trabalhos, participar da vida deles, fará uma enorme diferença.
Ao contrário de deixar seu filho diante da TV a manhã inteira, porque não se sentar e contar uma história que contenha vida, que contenha moral? Os desenhos que passam na TV estão destruindo nossas crianças. É só luta, guerra, sangue, demônios, feitiçaria. A televisão está trazendo a prostituição pra dentro de nossas casas, está infiltrando a feitiçaria nos corações, e tudo com muita sutileza, muito bem disfarçado. Ensinando não só a criança, mas o adolescente, o jovenzinho a aceitar a homossexualidade e o lesbianismo como algo natural na vida do ser humano. Nada é pecado, é apenas uma opção de vida. E até certo ponto é uma opção sim. Vc vai optar pelo certo ou pelo errado, porque só há dois caminhos: um estreito e quase ninguém quer entrar por ele, e outro largo, sem regras, cheio de facilidades. E o mundo está direcionando nossos filhos, nossa juventude. 

Nós, precisamos mudar isso em nossas famílias, ou amanhã teremos filhos feiticeiros dentro de nossas casas, cheio de imoralidade.

Deus nos deu esta noite como uma grande oportunidade de mudança. 
Poderíamos ficar horas aqui falando sobre a estrutura de uma família, mas quero apenas deixar um texto bíblico da palavra de Deus que está em Mateus 7: 24 Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha.    25E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.     26Mas todo aquele que ouve estas minhas palavras, e não as põe em prática, será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia.     27E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa, e ela caiu; e grande foi a sua queda. 
Nesta noite, dê ao Senhor uma oportunidade de entrar em sua vida, e em sua casa e fazer a transformação que vc precisa. Sozinho(a) vc não vai conseguir nada, mas o Senhor será a tua força, a tua ajuda, o teu socorro. 

Entregue ao Senhor a sua vida, entregue a Ele a sua família, e depois será apenas uma questão de se fortalecer na presença de Deus, de conhecer mais sobre a Palavra que pode mudar todas as outras áreas da tua vida, porque o Senhor tem uma direção para todas a coisas.

segunda-feira, 26 de março de 2012

TE PEÇO SENHOR!

                                       Me avise!!


Deus, por favor me avise!!
Me avise quando:

- em nome da fé eu estiver me afastando de ti
- eu estiver exercendo domínio ao invés de cuidado
- eu me esquecer de orar por quem me comprometi
- eu cinicamente racionalizar meus erros
- estiver trocando o relacionamento contigo pela religião
- estiver atrás do púlpito, mas à frente do Senhor
- o meu amor for retórico e o meu perdão teórico
- o meditar do meu coração for apenas uma busca intelectual
- eu me esquecer quem eu sou e me achar forte demais
- eu me esquecer de quem tu és e me achar esquecido
- eu amar as coisas e usar as pessoas
- eu me esquecer de tudo isso que escrevi

Senhor, por favor me avise! Seja lá como for, me avise. Não me abandone em minhas próprias mãos, mas sejas tu o braço forte e a mão amiga a me conduzir por caminhos eternos em meu interior oscilante.

sábado, 24 de março de 2012

VASO EM SANTIFICAÇÃO


"Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra". (1 Tessalonicenses 4.4)

Deus levantou Gideão como VASO DE HONRA e ordenou que juntasse todos os homens da terra para que juntamente com ele, outros vasos de barro pudessem ser escolhidos paraHONRAR a Deus. O total de israelitas que se apresentaram diante de Gideão naquele dia foi de 32.000 mil pessoas.

É isso mesmo. Diante de Gideão apareceu tudo quanto é tipo de vaso.

Entretanto, Deus conhecia cada um daqueles vasos que ali apareceram para partir para a guerra e derrotar os midianitas e sabia que se eles partissem para a guerra e vencessemMUITOS iriam ficar com o EGO INFLADO se achando o SUPER-HOMEM da época. Deus em sua ONISCIÊNCIA, sabia que havia vasos de ouro, de prata e de pau e que depois da batalha conquistada, estes ao invés de levantarem as mãos aos céus e agradecerem a Deus iriam se ORGULHAR e até iriam dizer que a batalha só foi conquistada porque eles eram vasos de ouro, de prata ou de pau.

Talvez Deus não te usou ainda porque você tem se achado GRANDE DEMAIS ouIMPORTANTE DEMAIS. O dia em que você reconhecer que a sua CAPACIDADE vem de Deus, então Ele o usará como VASO DE BARRO PARA HONRA.
“[...] mas a nossa capacidade vem de Deus”. (2 Corintios 3:5b)

IDE!!!


“E DISSE-LHES: IDE POR TODO O MUNDO, PREGAI O EVANGELHO A TODA CRIATURA”. (Marcos 16:15)
Durante a sua estada aqui na terra, o filho de Deus tentou ensinar muitas coisas. Basta ler suas Parábolas, basta analisarmos seus Milagres e observarmos seu modo de Agir e de se Comportar perante os outros.

Jesus nos ensinou grandes princípios como AMAR e PERDOAR. Mas uma coisa Ele nos ensinou antes de ascender aos céus e de assentar à direita de Deus Pai, que define bem qual a sua e a minha MISSÃO aqui na terra.

Jesus disse: IDE.

Mas o que significa esse IDE na essência?

Eu, particularmente, me sinto cansado de todos os cultos de MISSÕES ouvir a mesma ladainha, de que MISSÃO se faz de TRÊS formas: 1) INDO, 2) CONTRIBUINDO ou quem sabe 3) ORANDO.
Alguns até conseguem fazer uma diferença entre MISSÃO NACIONAL e MISSÃO TRANSCULTURAL. Uma diz respeito a fazer MISSÃO ao seu próprio redor, como por exemplo, na sua rua, no seu bairro, na sua escola, na sua faculdade, no seu emprego e quem sabe nas regiões circunvizinhas de sua cidade que podem abranger seu Município, Estado ou Pais e a outra diz respeito àqueles que saem para outros paises em outros continentes que possuem uma sociedade e uma cultura, completamente diferente da sua de origem.

Ouvimos sempre que se não temos condições de sermos MISSIONÁRIOS em CAMPO, no mínimo, podemos ser MISSIONÁRIOS em nosso redor. Se não somos missionários ao nosso redor podemos CONTRIBUIR financeiramente, seja por envio de dinheiro ou suprimentos de vestuário, de remédios entre outras formas.

E por último, nos ensinam que se não podemos EVANGELIZAR (o que é um erro, poisTODOS nós deveríamos ser MISSIONÁRIOS, pelo menos em nosso redor e se não somos, somos IGNORANTES quanto à PALAVRA de DEUS) ou CONTRIBUIR, podemos ao mínimoORAR pelos que fazem MISSÃO.

Cumprir o IDE de Jesus, vai muito mais além do que isso que vemos e ouvimos em nossos cultos de missões. Portanto, convido a todos a aprender o que de fato significa esse IDEque Jesus nos deixou, e aprender de fato o que é EVANGELIZAR a TODA CRIATURA.

O Profeta Isaias nos deixou algumas coisas bem interessantes que exprimem bem o que significa esse IDE, vejamos:

“VÓS SOIS AS MINHAS TESTEMUNHAS, diz o SENHOR, e meu servo, a quem escolhi [...]”. (Isaias 43:10a)


Você e Eu somos TESTEMUNHAS de DEUS aqui na TERRA e foi Ele quem nosESCOLHEU e não o contrário. Mas nós somos testemunhas de que, ou para que?

O mesmo profeta, um capitulo antes nos revela o motivo pela qual DEUS nos constituiu suas testemunhas. No capitulo 42, Isaias nos dá um vislumbre de NOSSA FUNÇÃO comoTESTEMUNHAS, vejamos:

“Eu, o SENHOR, te chamei em justiça, e te tomarei pela mão, e te guardarei, e te darei por aliança do povo, e para luz dos gentios. Para 1) ABRIR OS OLHOS DOS CEGOS, para 2) TIRAR DA PRISÃO OS PRESOS, 3) E DO CÁRCERE OS QUE JAZEM EM TREVAS”.(Isaias 42:6.7)

O evangelista Mateus deixou registrado em seu livro:

“MAS IDE ANTES ÀS OVELHAS PERDIDAS DA CASA DE ISRAEL. E, INDO, 1) PREGAI, DIZENDO: É CHEGADO O REINO DOS CÉUS. 2) CURAI OS ENFERMOS, 3) LIMPAI OS LEPROSOS, 4) RESSUSCITAI OS MORTOS, 5) EXPULSAI OS DEMÔNIOS, 6) DE GRAÇA RECEBESTES, DE GRAÇA DAÍ”. (Mateus 10:6.8)

Nesta passagem eu encontro 6 coisas que devemos lembrar quando pensamos no IDE.

E se eu somar essas 6 coisas às 3 coisas anteriores, eu aprendo que o IDE é regido, sustentado, alicerçado por estas 9 coisas.

E se, porventura, eu não sei o que significam estas 9 coisas, então eu não posso cumprir com o IDE de Jesus, não posso evangelizar e tão pouco ser um missionário.

Ser um MISSIONÁRIO, EVANGELIZAR, cumprir o IDE vai muito mais além do que pegar um microfone e falar sobre as 3 formas de evangelizar (1) INDO, 2) CONTRIBUINDO 3) ORANDO).

E UM DETALHE: Isso não é só para esse ou aquele. Isso é para TODOS os que aceitam Cristo como SALVADORTODOS NÓS TEMOS A INCUMBÊNCIA DE CUMPRIR COM O IDE, LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO OS 9 PONTOS QUE CONSTITUEM O IDE.

FATOS HISTÓRICOS

A SINAGOGA


A sinagoga era a casa de adoração dos judeus. Era um prédio ou um lugar usado pelos judeus para se encontrar, estudar e orar. 

AS ORIGENS E A HISTÓRIA PRIMITIVA 

Não sabemos exatamente como ou quando a sinagoga começou. O templo onde os judeus adoravam em Jerusalém foi destruído pelos babilônios em 586 A.C. O povo que permaneceu na cidade e em volta dela ainda precisava se encontrar para adorar. Eles queriam continuar ensinando a lei e a mensagem dos profetas. Os judeus de outros lugares tinham necessidades parecidas. 
As sinagogas devem ter tido a sua origem em tal situação. Em Neemias 8:1-8 a comunidade de exilados se juntou em Jerusalém. Esdras, o escriba, trouxe a lei, a leu de um púlpito de madeira e deu a interpretação para que o povo entendesse a leitura. Quando Esdras abençoou o Senhor, o povo abaixou suas cabeças e adorou. Esses se tornaram os elementos básicos da adoração na sinagoga. 
A primeira evidência clara de uma sinagoga vem do Egito no século 3 A.C. 

AS SINAGOGAS NA ÉPOCA DO NOVO TESTAMENTO 

As escrituras dão a impressão de muitas sinagogas existentes na Palestina. Jesus freqüentemente ensinava em sinagogas (veja Mateus 4:23; Mateus 9:35), especialmente durante o seu ministério galileu. Em João 18:20, Jesus falou em seu julgamento diante do sumo sacerdote: "Eu tenho falado abertamente ao mundo; eu sempre ensinei nas sinagogas e no templo, onde todos os judeus se congregam," (RSV). O livro de Atos se refere a sinagogas em Jerusalém (Atos 6:9), Damasco (Atos 9:2), Chipre (Atos 13:5), Antioquia (Atos 13:14; 14:1), Macedônia e Grécia (Atos 17:1, 10, 17; 18:4) e Éfeso (Atos 19:8) 

A ADORAÇÃO NA SINAGOGA 

Os evangelhos e o livro de Atos geralmente falam da reunião do povo judeu no sábado para adorar na sinagoga. As pessoas também se encontravam para adorar no segundo e no quinto dia da semana. O culto na sinagoga começava com a confissão da fé recitando Deuteronômio 6:4-9, 11:13-21 e Números 15:37-41, seguido de oração e leitura das escrituras. A leitura da lei era básica (veja Atos 15:21) e era feita de acordo com um ciclo de três anos. Os profetas também eram lidos, mas mais casualmente. Ai vinham as interpretações. Conforme o conhecimento do hebraico bíblico foi diminuindo na Palestina, uma tradução em aramaico das escrituras era lida depois da leitura em hebraico. Depois disso um discurso era dado. Qualquer um que fosse qualificado poderia falar ao povo, como fazia Jesus e o apóstolo Paulo. O culto terminava com uma benção. 

FUNÇÕES JUDICIAIS 

O trabalho da sinagoga também incluía a administração da justiça. Aqueles que infringiam a lei ou que eram acusados de atos contrários a lei judaica eram trazidos diante dos anciãos da sinagoga. Eles podiam, em circunstâncias extremas, excluir o ofensor da sinagoga (veja João 9:22, 34-35; 12:42) ou mandar que ele fosse açoitado. Jesus avisou os seus discípulos para estarem preparados para enfrentar qualquer uma das duas situações (Mateus 10:17; João 16:2). Saul, como perseguidor dos cristãos, enviou cartas endereçadas a sinagoga de Damasco. Foi-lhe dada autorização para prender cristãos e trazê-los de volta a Jerusalém (Atos 9:2). 

O ENSINAMENTO DA LEI 

A leitura da lei era o significado central de adoração. Os ensinamentos da lei, especialmente para crianças, era intimamente associada com a sinagoga. 

ORGANIZAÇÃO 

O Novo Testamento se refere (Marcos 5:22, Lucas 13:14; Atos 18:8, 17) a dois cargos em particular na sinagoga. O "governador da sinagoga" que era responsável pela ordem e pela seleção do leitor da escritura. Um atendente (Lucas 4:20) tirava e guardava os rolos da escritura. Mais tarde uma pessoa foi escolhida como líder de oração.

Fonte: iLúmina
 

DEUS CUIDA SIM DE VOCÊ!

“Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal”. (Mateus 6:34)


Deus nos deu o exemplo, mas ao invés de segui-lo, de aprender com Ele sabe o que fazemos? IGNORAMOS...

CORRERIA. PREOCUPAÇÃO. ANSIEDADE...

O trecho abaixo foi retirado do livro “Quem tem Sede Venha”, de Max Lucado. Observe o que ele diz:

“Alguns de nós temos pós-graduação na Universidade da Ansiedade. Vamos dormir preocupados quanto a não acordarmos; acordamos preocupados porque não dormimos. Ficamos preocupados com a possibilidade de alguém descobrir que alface engorda. A mãe de uma adolescente lamenta-se-“Minha filha não me conta nada. Por isso, vivo nervosa”. Uma outra mãe replica: “Minha filha me conta tudo. Por isso, vivo nervosa”. Você não gostaria de parar de se preocupar? Você pode usar um firme refugio dos elementos severos da vida?

Deus lhe oferece exatamente isso: a possibilidade de uma vida livre da ansiedade [de cada dia]. Não menos preocupação, mas nenhuma preocupação. Ele criou um abrigo para o seu coração. “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo” (FP 4:7).

Interessado? Então de uma olhada no restante da passagem.

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus” (vv. 6,7)

Duas palavras resumem a opinião dEle quanto à ansiedade: irrelevante e irreverente. “E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?” (Mt 6.27) Não altera em nada. Quando foi a ultima vez que você resolveu um problema por se preocupar com ele? Imagine alguém dizendo: “O pagamento de minhas contas estava atrasado, então decidi me preocupar com o que fazer para me livrar da divida. E, acredite, funcionou! Algumas noites sem dormir, um dia passando mal e mãos suando frio. Gritei com meus filhos e tomei alguns comprimidos, e – graças à preocupação – o dinheiro apareceu em minha mesa”.

Isso não aconteceu! A preocupação não muda nada. Você não acrescenta um dia à sua vida ou um pouco de vida ao seu dia ficando preocupado [estressado, nervoso]. Sua ansiedade [correria] só lhe causa mal-estar, nada mais. A respeito das coisas com que nos preocupamos:

O autor ainda ressalta:

“E o coração inquieto paga um alto preço por esta atitude. Preocupação vem da palavra grega que significa “dividir a mente”. A ansiedade nos parte ao meio, criando um pensador com duas mentes. Em vez de eliminar os problemas de amanha, a preocupação anula as forças de hoje”. (Lucado, Max; Quem Tem Sede Venha, ed. cpad, capitulo 11, pg. 98)
Que possamos aprender a DESCANSAR no Senhor. Nos preocupar mais com as coisas espirituais do que as materiais. Lembrem-se da palavra que o próprio Cristo nos deixou:

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. (Mateus 11:28)

Deus abençoe a todos.
Autor: Sancley Q. Silva

Achei este post maravilhoso e postei aqui para nosso crescimento espiritual. Inclusive  com o nome do autor.

DEUS CUIDA DE VOCÊ

Deus Cuida de Você

“Sou pobre e necessitado, contudo o Senhor cuida de mim. Tu és o meu auxílio e o meu libertador [...]”. (Salmos 40:17)

sexta-feira, 23 de março de 2012

BRINCANDO DIVERTINDO E APRENDENDO

            


Brincadeiras diversas: São dinâmicas divertidas que podem ser usadas em aulas,  com crianças ou até mesmo adultos. Dependendo  da situação.

QUEBRA-CABEÇA DE PALAVRAS
Material: papel cartão, pincel atômico, tesoura.
Preparo: Escrever nas fichas recortadas (30cm X 15cm), palavras concernentes à lição, ou o versículo que se pretende ensinar. Recortar as fichas de diferentes maneiras, formando peças que posteriormente serão unidas.
Desenvolvimento: As fichas serão distribuídas a todos os participantes, que a um dado sinal sairão à procura das partes que completam as palavras. Encontradas as partes, trabalha-se o significado das palavras. Esta atividade proporciona a formação de grupos para atividades posteriores.
Variante: Para a classe do maternal e primários (que não sabem ler), pode-se utilizar figuras referentes ao assunto tratado.

1. JOGO DA MEMÓRIA
Material: papel cartão, figuras diversas duplas, cola e tesoura.
Preparo: Montar cartões com as figuras (duplas) referentes ao assunto da lição, ou versículo.
Desenvolvimento: Dispor as figuras no chão (viradas para baixo) no centro da sala, ou dividir a turma em grupos menores para a realização do jogo. Um participante dá o início, escolhendo duas figuras que serão desviradas. Caso ele encontre o par, poderá jogar novamente, se o par não for encontrado, a vez é passada para outro participante.
Variante: O jogo pode ser elaborado com palavras, para as turmas maiores.
2. BOLICHE
Material: garrafas “pet”, 1 bola pequena, cartolina, durex, papel contact, pincel atômico.
Preparo: Elaborar cartões com palavras da história, ou do versículo e colá-los nas garrafas. Passar o papel contact por cima, para proteger as palavras.
Desenvolvimento: Os participantes farão uma fila e cada um deles terá a oportunidade de lançar a bola e tentar derrubar as garrafas. A garrafa que for derrubada deverá ser levantada e a palavra lida para todos. Depois que as crianças explorarem bem o jogo, deverá ser realizada a aplicação, ou seja, as palavras serão comentadas.
Variante:Pode-se colocar nas garrafas, figuras em vez das palavras e as crianças terão que falar sobre as cenas.

3. SOPRA-SOPRA
Material: balões de assoprar, papel sulfite, canetas coloridas.
Preparo: Escrever palavras em tiras de papel sulfite e colocá-las dentro dos balões.
Desenvolvimento: As crianças deverão assoprar o balão até estourar. Em seguida, recolher as palavras e montar as frases concernentes à história, ou versículo
.

4. HISTÓRIA DIFERENTE
Material: Tiras de cartolina, pincel atômico.
Preparo: Escrever 5 substantivos concernentes ao assunto da aula nas fichas de cartolina. Dispor as crianças em círculo.
Desenvolvimento: A primeira criança que estiver à direita do professor deverá receber uma ficha e começar a contar uma história bíblica com aquele substantivo. Outras crianças deverão ser escolhidas para continuar a narrativa, partindo sempre da palavra que recebeu.

5. BUMBALÕES
Material: balões de assoprar.
Preparo: Dividir a turma em duplas e amarrar os balões nas mãos e nos pés de todos os participantes.
Desenvolvimento: As crianças deverão cantar um hino escolhido e enquanto cantam, estourar os balões do seu par. Ganha a dupla que estourar menos balões.

6. SAI DA CASA
Material: fita crepe
Preparo: Marcar o chão com círculos ou X, feitos de fita crepe. Observar o número exato de participantes e marcar um a menos.
Desenvolvimento: Crianças espalhadas pela sala, cada uma em sua “casinha”. Uma das crianças ficará sem “casinha”. A um sinal do professor, a criança que ficou sem casinha diz em voz bem alta: “Empresta-me a tua casinha?”. Todos os outros deverão responder: “Sim!” A seguir, trocam de casinhas, enquanto a criança sem casinha tentará ficar no lugar de alguém. A criança que ficar sem casinha deverá recitar um versículo, cantar um hino, ou contar uma história solicitada.

7. ETIQUETA
Material: Fichas de cartolina ( 22 X 15 ) , pincel atômico, fita crepe, papéis para anotações e lápis preto ( A quantidade deverá ser de acordo com o número de participantes).
Preparo: Escrever nomes de personagens bíblicos, lugares da Bíblia, objetos, etc, nos cartões. Colar as fichas nas costas das crianças e distribuir os papéis para anotações e os lápis.
Desenvolvimento: As crianças deverão estar dispostas em círculo enquanto as fichas são coladas em suas costas. A um dado sinal, elas deverão copiar o máximo de palavras possíveis, das costas dos colegas, mas cada um deverá tentar impedir que os outros copiem a sua palavra. Vencerá a criança que conseguir o maior número de palavras.
8. CAIXA DE OBJETOS
Material: Uma caixa grande enfeitada, objetos ( condizentes com o assunto da aula), duas vendas para os olhos.
Preparo: Colocar objetos referentes com o assunto a ser tratado. Dividir a turma em duas equipes e escolher um representante de cada uma e vendá-los.
Desenvolvimento: As crianças com os olhos vendados deverão ser conduzidos até a caixa onde pegarão um dos objetos aleatoriamente. Escolhidos os objetos, eles deverão tentar adivinhar o que é. Depois de descobertos os objetos, as equipes deverão verificar a que história os objetos se referem.

9. LETRAS DE SUCATA
Material: Tampinhas, caixas de fósforo, caixas de caldo de carne ou outras, papéis coloridos para encapar, sulfite, canetinhas, cola, durex, tesoura.
Preparo: Encapar as caixinhas, ou utilizar as tampinhas. Escrever o alfabeto nos papeizinhos e cola-lo nas tampinhas, ou caixinhas. ( Escrever uns 4 alfabetos e repetir as vogais umas 5 vezes).
Desenvolvimento: Os alunos deverão formar nomes dos personagens da história ou outras palavras solicitadas. Pode-se fazer uma competição entre equipes, estabelecendo regras como: formar as palavras em menor tempo, ou, formar o maior número de palavras. Pode-se, ainda, ditar as palavras para que os alunos as formem.


10. ALFABETO NUMÉRICO
Material: Tabela (ver modelo), cartões ( 5x5 ) de cartolina ou outro papel, pincel atômico, envelopes, lápis preto e papéis para anotações.
Preparo: Reproduzir a tabela modelo ( a quantidade dependerá do número de equipes que se quer formar). Escrever números que formam nomes de personagens bíblicos, de lugares, ou ainda uma frase sobre o assunto. Cada jogo de números deverá ser colocado em um envelope.
Desenvolvimento: Cada equipe receberá uma tabela, lápis, papéis para anotações e o(s) envelope(s). Em seguida, consultando a tabela, deverão abrir o(s) envelope(s) , descobrir as palavras e anotá-las.
Variante: Os números da tabela podem ser substituídos por outros símbolos.

11. PESCARIA
Material: Fichas em formato de peixes, pincel atômico, varinhas com anzol, caixa de areia ou serragem.
Preparo: Recortar os peixes em papel cartão ou E.V.A. e escrever letras, palavras, ou colocar figuras em cada um. Deixar um orifício na boca dos peixinhos para que eles sejam pescados. Os peixes serão fincados na caixa de areia ou serragem.
Desenvolvimento: As crianças deverão pescar os peixes, ler o que está escrito neles e fazer o que se manda ( Nos peixes podem ter perguntas sobre a lição, nomes de personagens, de lugares, situações especiais, ou ainda, figuras para os pequenos.)

12. PASSA ANEL MUSICAL
Material: Uma argola pequena, perguntas e música.
Preparo: escrever diversas perguntas, enrolá-las e colocá-las uma de cada vez na argola.
Desenvolvimento: ao som da música uma criança vai passando o anel de mão em mão. Quando a música parar o anel deverá ser deixado nas mãos de alguém. A criança que recebeu o anel deverá ler e responder a pergunta.

13. ESTÁTUA
Material: Papéis com nomes de personagens bíblicos.
Preparo: Dispor os alunos em fila única no fundo da sala, de frente para o professor.
Desenvolvimento: Cada aluno receberá o nome de um personagem bíblico, que será sorteado. O professor chamará um dos personagens. O aluno, cujo personagem foi mencionado, deverá dar 3 passos para frente e dizer o seu nome. Caso o aluno demore em sair do lugar ou se disser o nome do personagem, deverá ficar em posição de estátua e permanecer assim, até que outro colega erre e permaneça no seu lugar.
14. MEMORIZANDO
Material: Figuras de histórias bíblicas, papel cartão.
Preparo: Colar as figuras no papel cartão e depois aplicá-las no quadro ou em uma parede. Formar várias fileiras com o mesmo número de alunos.
Desenvolvimento: Ao sinal do professor, o primeiro aluno da primeira fileira, levanta-se rapidamente, toca qualquer figura e volta para o seu lugar. O primeiro aluno da fileira seguinte levanta-se, toca figura do primeiro, pronuncia o nome e escolhe uma segunda figura, pronunciando o seu nome. A brincadeira prossegue assim, sucessivamente. O aluno que esquecer alguma das figuras já pronunciadas, perde ponto para a sua equipe.
Variante: Para os pequenos pode-se colocar 3 ou 4 figuras.



15. QUEM SOU EU?
Material: Papel, caneta e caixa
Preparo: Enfeitar uma caixa.
Desenvolvimento: Os alunos deverão estar sentados em círculo. Cada aluno deverá escrever seu nome em um pedaço de papel e depositá-lo na caixa. O professor mistura bem os papéis; a seguir cada um retira um, fazendo uma descrição escrita do colega cujo nome ele tirou. A descrição deve ser bem curta. O professor pode estabelecer um tempo para a produção, avisando quando este tempo estiver quase esgotado. Recolhem-se todas as descrições que, a seguir, são lidas em voz alta. Atribuem-se pontos aos alunos que descobrirem o colega cuja descrição o professor está lendo.

16. O PRESENTE
Material: Uma caixa ou pacote de presente.
Preparo: Os alunos deverão estar sentados em círculo.
Desenvolvimento: O professor, sentado em círculo com alunos, inicia a brincadeira dizendo:
_ Fulano, receba este presente que o_____________ (nome da pessoa que está à sua direita) lhe enviou.
O aluno nomeado deve proceder da mesma forma, repetindo o nome dos que já participaram da brincadeira e acrescentando o nome do novo participante, recebedor do presente. Por exemplo:
_ Marcos, receba o presente que Ana lhe enviou.
Marcos continuará:
André, receba o presente que Ana e Marcos lhe enviaram.
André dirá:
_ Luís, receba o presente que André, Ana e Marcos lhe enviaram.
Desta forma a brincadeira continua. Quem trocar ou esquecer algum nome passará a ser chamado pelo nome de uma fruta, como por exemplo, abacaxi, pêra, maçã. Quanto mais rápida for a brincadeira, mais engraçada fica.

17. TIP – TOP
Material: Nenhum.
Preparo: Alunos dispostos à vontade pela sala, de frente para o professor.
Desenvolvimento: O professor dará códigos para os alunos. Cada código indicará uma tarefa que eles deverão executar. Todos os alunos deverão memorizar estes códigos:
TIP = PULAR
TIP-TIP = BATER PALMAS
TIP-TOP = LEVANTAR
TOP = SENTAR
TOP-TOP = ABRAÇAR UM COLEGA
Após os alunos terem memorizado os códigos, o professor inicia a brincadeira falando um dos códigos e os alunos, rapidamente, deverão executar a tarefa referente ao código citado. Quem não acertar, ou demorar, sai da brincadeira.


18. VOCÊ VIU?
Material: Nenhum.
Preparo: Alunos sentados em círculo.
Desenvolvimento: O professor inicia a brincadeira, dizendo ao aluno da sua direita:
_ Você viu?
O aluno responderá:
_ O quê?
O professor diz:
_ Uma cobra (e faz o movimento dela com as mãos).
O aluno continuará a brincadeira fazendo a mesma pergunta, e assim por diante.
Não pode repetir animais, mas caso isto aconteça o aluno deverá pagar uma prenda, como por exemplo, cantar um hino, recitar um versículo ou contar uma pequena história.

19. VOCÊ SABE?
Material: Caixinha enfeitada com números no seu interior, placa de E.V.A . com bolsos (numerada de acordo com os números que estão dentro da caixa), contendo perguntas, música.
Preparo: Colocar perguntas nos bolsos da placa, de acordo com a lição.
Desenvolvimento: Ao som de uma música, a caixinha será passada entre os participantes que estarão sentados em círculo. Quando a música parar, a pessoa que estiver com a caixa na mão deverá abri-la e retirar um número. Na placa com bolsos, pegar a pergunta que tenha o mesmo número tirado da caixinha para responder.

20. ÁRVORE DO SABER
Material: Papéis coloridos ou E.V.A . , pincel atômico ou marcador permanente.
Preparo: Confeccionar duas árvores de papel ou E.V.A . e frutas, cartões com palavras da lição escritas ao contrário ou com as sílabas bagunçadas( ex.: bolarápa = parábola).
Desenvolvimento: Os alunos, um a um, sortearão as fichas com as palavras e tentarão colocá-la em ordem, no tempo estabelecido. Cada palavra certa, o grupo ganha um ponto que será marcado através das frutas nas árvores.

21. DOMINÓ
Material: Fichas com palavras ou desenhos.
Preparo: Confeccionar as fichas com palavras ou desenhos da lição.
Desenvolvimento: Dividir a turma em grupos menores. Cada grupo receberá um dominó. Cada participante recebe um número determinado de fichas e as que sobrarem ficam no centro para serem “compradas”. O jogo começa com um aluno que lança a primeira ficha e prossegue com as tentativas de encaixe das fichas dos outros participantes. Caso ele não tenha a ficha e fique impossibilitado de comprar outra, deve passar a sua vez. Ganhará o aluno que conseguir encaixar todas as suas fichas.

22. ESCONDIDO
Material: Fichas com palavras referentes à lição, ou, figuras.
Preparo: Confeccionar fichas com palavras ou figuras e espalhá-las pelo chão, onde as crianças deverão estar dispostas em círculo.
Desenvolvimento: Todas as crianças deverão observar as palavras ou figuras dispostas. Um aluno sai da sala e uma ficha é retirada. Ao voltar para o círculo ele deve adivinhar qual a ficha que foi tirada. Um outro aluno é escolhido e a brincadeira continua.

23. QUEM É?
Material: Fichas com nomes de personagens ou fatos bíblicos, uma caixa ou envelope.
Preparo: Confeccionar fichas com os nomes ou fatos bíblicos.
Desenvolvimento:As crianças deverão estar dispostas em círculo. Uma delas retira uma ficha e deverá dar dicas sobre o personagem ou fato, para que os outros tentem adivinhar. O que acertar, retira aproxima ficha e dá as dicas.

24. HISTÓRIAS DIVERTIDAS
Material : Fichas com palavras referentes a duas histórias diferentes.
Preparo: Confeccionar fichas com palavras peculiares a duas histórias bíblicas diferentes.
Desenvolvimento:Cada criança sorteará uma ficha e, ao sinal do professor, caminhará por um espaço determinado, falando bem alto a sua palavra. Quando perceberem semelhanças, deverão ficar agrupadas e combinar para contar a história a que se referem.

25. SUA CASA É O JORNAL
Material: Folhas de jornal, música.
Preparo: Espalhar as folhas de jornal pela sala, de acordo com o número de crianças.
Desenvolvimento: As crianças devem andar, desviando das folhas de jornal, enquanto ouvem uma música. Assim que a música parar, rapidamente todos pisam em cima do jornal ( a sua casa). Quando o som reiniciar, todos saem andando novamente. A cada rodada, o professor tira um jornal do chão, para aumentar o desafio. Assim, as crianças serão obrigadas a se juntar em poucas “casas”. Ao final do jogo, restará apenas uma folha de jornal, onde todos deverão dar um jeito de entrar. Vale encostar apenas uma parte do corpo como um dedo, mão ou pé. O jogo é cooperativo, não há um ganhador.


26. EU MANDO
Material: Cartão com um número para cada jogador, cartão com tarefas a realizar.
Preparo: Escrever nos cartões os números e as ordens a serem realizadas.
Desenvolvimento: Entregar a cada participante um número que deverá colocar num lugar bem visível e um cartão com as tarefas a realizar. Dado um sinal todos devem cumprir as tarefas, que podem ser:
- procure o nº 2 e apresente-o ao nº 4, ao 6 e ao 10...
- faça uma lista dos nomes das crianças que usam óculos...
- procure o número 12 e juntos cantem um hino...
- junto com o dois, contem uma história bíblica para o 15...
O professor dará a ordem final que pode ser:
- dê um abraço no amigo que está mais perto...
- cantem um hino todos juntos...

27. PASSA- RESPONDE
Material: Duas caixas enfeitadas, papéis com perguntas e música.
Preparo: Selecionar perguntas sobre a lição, escrevê-las e colocá-las dentro das caixas. Dividir a turma em duas fileiras.
Desenvolvimento: Ao som de uma música o primeiro da fila passa a caixa para o detrás e sucessivamente. O último da fila corre, coloca-se na frente, tira uma pergunta, lê e responde e entrega a caixa ao que está atrás dele que continuará passando. Ganhará a equipe que tiver o maior número de acertos.

28. O ESPELHO
Material: Tiras de papel, lápis, uma caixa.
Preparo: Escrever diferentes ações duplicadas, anota-las em tiras de papel e colocá-las dentro da caixa. Dispor as crianças em círculo, viradas para fora.
Desenvolvimento: A caixa será passada e cada criança tirará uma ação. Ao sinal do professor, todos devem virar-se para o meio e começar a realizar a ação. Todos deverão encontrar o seu par que está fazendo a mesma coisa. Ao se encontrarem deverão ficar juntos e cada um dirá um versículo ao outro.
29. DINÂMICA DA VIDA
Material: Balões coloridos, papéis, caneta.
Preparo: Escrever frases incompletas nos papéis e colocá-los dentro dos balões.
Desenvolvimento: Cada participante receberá um balão. Ao som de uma música deverão encher sem estourar. De acordo com o ritmo da música, deverão fazer movimentos com o corpo, utilizando os balões. Quando a música parar, deverão estourar os balões e pegar a frase que estava dentro. Voltando para o círculo, cada um deverá ler a sua frase completando-a ... (falando de emoções).
Exemplos de frases:
1. Gosto muito de...
2. Não gosto de...
3. Fico feliz quando...
4. Sinto que estou bem no grupo, quando...
5. Uma das coisas que mais me deixa triste é...
6. Tenho medo de...
7. Nada me irrita mais do que...
8. Sinto saudade de...
9. O amor significa para mim...
10. Minha maior esperança é...
11. Sinto-me envergonhado quando...
12. Quando penso na morte sinto...
13. Para mim, o que existe de mais importante é...
14. Diante de um espelho eu me acho...
15. Se me restasse um ano de vida, eu...
16. A emoção que tenho maior dificuldade de controlar é...
17. Os outros dizem que eu...
18. Diante de uma dificuldade, eu...
19. Se eu pudesse mudar algo na minha vida seria...
20. O que mais gosto em mim...
21. Um lugar especial para mim...
22. Uma pessoa especial para mim...

 

COMENTE

AS MAIS LIDAS:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VISITANTES RECENTES