POSTAGENS MAIS RECENTES DO BLOG

SIGA-NOS NO FACEBOOK

Oração

orai sem cessar!


"Orai sem cessar!" I Tessalonicenses 5:17

Qual é o lugar, o momento ou o jeito certo de orar? Creio que o maior exemplo que temos é o do apóstolo Paulo; ele orava assim pelos tessalonicenses. No primeiro capítulo de I Tessalonicenses, Paulo dá um exemplo de como devemos orar uns pelos outros: "Damos sempre graças a Deus por todos vós, mencionando-vos em nossas orações, e sem cessar recordando-nos, diante do nosso Deus e Pai, da operosidade da vossa fé, da abnegação do vosso amor e da firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo" (vs 2-3); ainda no capítulo 2 vs 13 "outra razão ainda temos nós para 'incessantemente' dar graças a Deus". Pensando nestas palavras de Paulo e na necessidade de orarmos sem cessar uns pelos outros, comecei a refletir o quanto necessitamos desta postura em nosso dia-a-dia; há muitos motivos: gratidão, necessidades enfim, sempre há o que pedirmos ou o que buscarmos. Eu sou grata ao Senhor por ter colocado em minha vida pessoas tão especiais: amigos, familiares e tantos outros que têm contribuído para o meu crescimento e amadurescimento. Oxalá que eu possa retribuir a cada um, orando incessantemente, recordando o que cada uma destas pessoas tem feito, dando graças a Deus nosso pai por tudo que têm feito. Amém!

Edificando por meio da Palavra!

"Quanto melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! E mais excelente adquirir prudência do que a prata." Pv 16:16

Não há nada melhor do que poder meditar na Palavra de Deus. De fato ela é o mais perfeito alimento para as nossas almas, para o nosso espírito. Hoje, particularmente, lembrei-me de forma muito especial deste texto de Provérbios:


"O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor. Todos os caminhos do homem são puro aos seus olhos, mas o Senhor pesa o espírito. Confia no Senhor as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos. O Senhor fez todas as cousas para determinados fins, e até o perverso para o dia da calamidade. Abominável é ao Senhor todo arrogante de coração; é evidente que não ficará impune. Pela misericórdia e pela verdade se expia a culpa, e pelo temor do Senhor os homens evitam o mal. Sendo o caminho dos homens agradável ao Senhor, este reconcilia com eles os seus inimigos. Melhor é o pouco havendo justiça, do que grandes rendimentos com injustiça. O coração do homem traça o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos." Pv 16: 1-9

RESPLANDEÇA A BRANCURA
                                                                                                                                           “E aconteceu que, enquanto ele orava, a aparência do seu rosto se transfigurou e suas vestes 
resplandeceram de brancura.” (Lc 9.29)
Muitas vezes andamos por esse mundo sem saber ao certo o que procuramos.
Apesar de a graça divina nos abençoar com um lar abastado, onde há abundância de provisões materiais, muitos de nós nos consideramos infelizes, acreditando que algo ainda está faltando e não sabemos como explicar o que acontece em nosso interior.
Apesar de todos à nossa volta nos mostrarem o quanto somos abençoados por Deus, o fato de não desfrutamos do conforto e das facilidades que a vida moderna propicia, nos leva a entender que se tivéssemos um poder aquisitivo maior poderíamos nos considerar mais felizes.
Como somos contraditórios em nossos sentimentos! Se tivermos muito, reclamamos... Se tivermos pouco, reclamamos ainda mais.
Não são poucos os que diante das experiências que a vida nos concede não conseguem recostar a cabeça no travesseiro e simplesmente descansar. Suas mentes não param. Buscam forças e respostas em tudo que as cerca e se esquecem que na maioria das vezes a solução não está fora, mas dentro delas mesmas e que para alcançar a paz que tanto desejam necessitam apenas buscar a presença do seu Criador e expor-lhe o que tanto as atormenta.
Jesus enquanto esteve entre nós, não desfrutou de conforto físico ou de facilidades materiais, mas apesar disso transformou não apenas o destino de todos aqueles que O seguiam, mas também o rumo da história humana.
Cremos que o convite que Jesus nos faz para nos sentirmos transformados e agraciados pela presença e provisão divina é criarmos em nós o hábito de falar com o Pai; de estabelecer um momento para nos aproximarmos dEle através da oração.
O convite de Jesus é para utilizarmos esse recurso em quaisquer situações.
Quando a infelicidade ou a dificuldade bater à tua porta e você se sentir impotente e desmotivado, ore ao Senhor pedindo-lhe proteção e amparo.
Quando injustamente te ferirem com palavras ásperas e ofensivas, refugia-te na oração e peça ao Senhor que lhe conceda amor para superar tão duros momentos.
Quando a perda de um ente querido estiver sufocando a tua alma, ore e peça que o Senhor reconforte teu coração, te dando a certeza de que a vida continua e que em breve poderás encontrá-lo e regozijar-se com ele na presença do nosso Deus.
Quando, apesar do desejo sincero de ajudar, os outros vejam nesse ato uma maneira de condená-lo por sua suposta intromissão, não esmoreça ou interrompa a tarefa, mas ore, pedindo ao Senhor que lhe dê forças para compreender e amor para continuar a trabalhar na seara do bem, pois muitas vidas poderão depender dessa decisão.
Quando as lutas do caminho estiverem te enfraquecendo e te levando ao desespero e ao abandono, não te entregues a esse sentimento, mas resista e ore ao Senhor, buscando nEle a razão maior de sua existência. Deus não desampara os que O buscam.
Quando tudo estiver correndo bem e tudo à tua volta for motivo de alegria, ore e agradeça ao Senhor por tamanhas dádivas, pedindo a Ele sabedoria e humildade para que as bênçãos concedidas não se transformem em pedras de tropeço em tua vida.
Quando os irmãos mais necessitados que compartilhem a tua mesa te honrarem por tudo que fazes, não te engrandeças por isso, mas ora e agradeça ao Senhor pela oportunidade que Ele te concedeu de espalhar o bem sem desejar recompensa.
Não importa se lhe damos o nome de prece ou de oração, o que realmente importa é falarmos com Deus, expondo nossos sentimentos e inquietações mais intimas, nossas dúvidas e incertezas, nosso agradecimento pelo cuidado que tem para conosco, pelas possibilidades que nos concedeu de um dia havê-lo encontrado e ser aceito por Ele.
Aceitemos o convite que Jesus nos faz para orarmos em todos os momentos e situações e perceberemos o quanto isso nos ajudará a entender não apenas a razão de nossa vida,
mas nos ensinará ainda, a compreender e a amar ainda mais os nossos semelhantes.



 FÉ E MILAGRES
"E, entrando Jesus em Cafarnaum, chegou junto dele um centurião, rogando-lhe, e dizendo: Senhor, o meu criado jaz em casa, paralítico, e violentamente atormentado. E Jesus lhe disse: Eu irei, e lhe darei saúde. E o centurião, respondendo, disse: Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado, mas dize somente uma palavra, e o meu criado há de sarar. Pois também eu sou homem sob autoridade, e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu criado: Faze isto, e ele o faz. E maravilhou-se Jesus, ouvindo isto, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que nem mesmo em Israel encontrei tanta fé. Mas eu vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e assentar-se-ão à mesa com Abraão, e Isaque, e Jacó, no reino dos céus; E os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes. Então disse Jesus ao centurião: Vai, e como creste te seja feito. E naquela mesma hora o seu criado sarou." (Mateus 8:5-13)

Por que eu preciso ter fé?
Muitas vezes, vivemos nossas vidas de uma forma tal que parece mesmo que nós não precisamos de mais ninguém. De fato, ter iniciativa nos ajuda a depender menos das pessoas. Porém, quando uma determinada tarefa exige um esforço maior do que a nossa própria capacidade, seja física ou mesmo de conhecimento, é comum pedirmos ajuda: para consertar um motor de carro, para "virar" a laje da casa que construímos, etc. Nessas horas, é comum pedirmos a ajuda de amigos mais chegados ou a ajuda de profissionais especializados para obtermos aquilo que precisamos. Mais que isso: eu preciso acreditar que aquele amigo ou aquele especialista são capazes de me ajudar a resolver o meu problema. Se eu não acredito na capacidade da pessoa a quem eu peço ajuda, no fundo eu não desejo resolver aquele problema. Desejo apenas exibir a minha dificuldade e testar a reação das pessoas diante da minha miséria - exibicionismo do pior tipo.

Mas... e quando a ajuda não pode vir dos homens?
Na vida de todos nós já aconteceu de estarmos sozinhos em situações de aperto, nas quais nós daríamos tudo por uma ajuda providencial, um olhar amigo, que fosse... Pode ser por alguma circunstância fora do nosso controle ou mesmo por alguma posição que tomamos na vida e acabou desagradando a alguém. Ser cristão demanda por vezes tomar decisões contrárias ao senso comum e isso desagrada até mesmo pessoas que nos são muito próximas, gerando mágoas e ressentimentos que podem durar muito, muito tempo. Quem já se viu sozinho diante de dilemas morais e éticos, quando todos apontam para o caminho fácil e sabemos que aquele não é o caminho pelo qual um legítimo cristão pode trafegar, certamente tem noção da profundidade do sentimento de solidão que invade a alma nessa horas. Nessas horas, nossos olhos percorrem o ambiente até onde a vista alcança e não vemos quem possa nos consolar em meio aos olhares acusadores dos homens.

De que adianta todo poder diante das impossibilidades humanas?
Alguns podem acreditar que ter autoridade sobre outras pessoas é a saída - basta ordenar e o que se ordenou será cumprido. Tamanha miopia espiritual já levou muitos à perdição. Vejamos o que nos diz o relato em Mateus 5: O centurião era um homem poderoso, mas não tinha poderes para curar aquela pessoa por quem ele tinha afeição. De que lhe adiantava tanto poder, se ele não tinha o poder necessário para atender àquela necessidade? Se por acaso ele ordenasse a um de seus comandados que curasse aquele seu criado, ele obteria de fato a cura?

Basta uma palavra
Eis aí a grande lição que o centurião romano nos ensina:

O centurião reconheceu em Jesus o PODER para curar seu criado: apesar de não ser judeu, ele viu em Jesus a autoridade e o poder sobre de fato todas as coisas. Ele viu em Jesus para ordenar e fazer cumprir a sua ordem sobre a saúde do seu criado e então curá-lo.

O centurião reconheceu que não precisava da presença FÍSICA de Jesus para que seu criado fosse curado: Além de reconhecer a autoridade e o poder de Jesus sobre todas as coisas, ele também concluiu que um ser tão poderoso não precisaria se fazer fisicamente presente em algum lugar para ali operar o sobrenatural. Bastar-lhe-ia uma palavra daquele ser poderoso e o que ordenara seria cumprido. Não era necessário um retrato de Jesus na parede de um cômodo da casa, ou mesmo uma estátua de Jesus sobre uma estante, mas simplesmente a fé de que a uma só palavra de Jesus, a cura aconteceria - e de fato aconteceu.

O centurião aceitou Jesus primeiro em seu coração e então obteve o milagre da cura do seu criado: Por que se pede a quem não se acredita ter poder para realizar? É sensato pedir algo a alguém que se sabe não ter poder para realizar o que se precisa? Certamente que não. O que se viu ali foi alguém com tamanha fé no poder do Filho de DEUS que sequer demandava a sua presença física no cômodo onde estava o doente a ser curado. A fé do centurião impressionou o próprio Jesus, a ponto de arrancar dele uma declaração de peso: não basta ser rotulado de cristão ou ter nascido num lar cristão para obter o sobrenatural de DEUS, é preciso realmente CRER com todo o coração para então termos o direito de obter de DEUS a graça do seu sobrenatural e mesmo a sua salvação! 


RECONHEÇA O CERTO E ABANDONE O ERRADO, GRANDE SERÁ A TUA BENÇÃO.

Fonte: Pastor Honorato José dos Santos


COMENTE

AS MAIS LIDAS:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VISITANTES RECENTES